Seis regiões estão em bandeira vermelha no Rio Grande do Sul

Após analisar 37 pedidos de recursos, o Governo Estadual publicou nesta última segunda-feira (06) o mapa definitivo do distanciamento controlado. Seis regiões foram confirmadas com bandeira vermelha. As medidas são válidas a partir desta terça-feira (07).

As regiões de Palmeira das Missões e Pelotas entraram na bandeira vermelha junto com Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa. Já Erechim, Passo Fundo, Caxias do Sul e Taquara, que estavam na classificação de risco alto no mapa prévio de sexta-feira (03) vão ficar em bandeira laranja, de risco médio. Dos 165 municípios em classificação vermelha, 87 não apresentaram nenhum óbito ou internação hospitalar devido à Covid-19 nos últimos 14 dias. Portanto, poderão optar por adotar o protocolo das bandeiras laranjas.

“O Rio Grande do Sul vive uma situação de agravamento do quadro que já era inclusive esperada para esse período, mas que está aí se confirmando, e que portanto, o nosso próprio modelo de distanciamento controlado se carregava já de analisar os indicadores e estabelecer protocolos mais restritivos, mais rigorosos de acordo com as necessidades de cada região no momento certo”, explicou o governador do RS, Eduardo Leite.

Até o momento, o governo do estado não atribuiu a bandeira preta a nenhum município. Entretanto, por conta do avanço de todos os indicadores associados ao coronavírus em Rio Grande, a decisão do comitê técnico do município foi decretar a classificação preta por conta própria.

“Nós criamos aqui em Rio Grande um plano municipal de distanciamento social controlado local, que tem indicadores com maiores peso, olhando os indicadores locais. Em relação as atividades essenciais se mantem todas elas em atividade”, disse o prefeito de Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer.

Nove municípios tiveram os recursos negados pelo gabinete de crise do Governo Estadual e permanecem em bandeira vermelha. E Bagé, que está em bandeira laranja, e havia pedido para ter a classificação rebaixada, não teve o recurso atendido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *