Sessão com esclarecimentos de Moro na Câmara dos Deputados acaba com briga de parlamentares

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro,prestou esclarecimentos na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (2), sobre as supostas mensagens trocadas com procuradores da Operação Lava Jato. Os diálogos foram divulgados pelo site Intercept Brasil nas últimas semanas.Tanto o ministro quanto o procurador Deltan Dallagnol questionam a autenticidade das conversas e negam que os textos sejam provas de irregularidades.

Ao abrir a audiência, o ministro argumentou que a invasão de celulares de autoridades para obter mensagens faz parte de uma “tentativa criminosa de invalidar condenações” da Operação Lava Jato.

“A minha opinião, e aqui é uma opinião informal, é que alguém com muitos recursos está por trás dessas invasões e que objetivo principal seria invalidar condenações da Operação Lava Jato e impedir novas investigações. Seria alguém com recursos, porque não é tentativa de ataque a um celular, mas tentativa de ataque a vários, em alguns casos talvez com sucesso, o que não parece corresponder à atividade de um adolescente com espinhas na frente do computador”, ressaltou.Diversos embates ocorreram entre oposicionistas e o ministro. Já os governistas defendiam Moro. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), chegou a afirmar que encerraria o encontro, caso os parlamentares não se acalmassem. No entanto, após o deputado Glauber Braga (PSol) chamar o ministro de “juíz ladrão e corrompido que ganhou uma recompensa para que a democracia brasileira fosse atingida”, os ânimos ficaram exaltados. Parlamentares contra e a favor de Moro iniciaram uma discussão, quase chegando às vias de fato. Em função da confusão, Sérgio Moro deixou o local e a sessão foi encerrada.

Acompanhe a briga que deu fim à audiência, a partir dos últimos 15 minutos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *