Temporais castigaram o Rio Grande do Sul com derrubada de árvores, postes e cortes no fornecimento de energia

No início da noite sábado, depois que os termômetros de diversas partes do Rio Grande do Sul indicaram temperaturas superiores a 30°C, um temporal atingiu a Região Metropolitana e diversas regiões do Estado. Houve queda de árvores e postes e diversos pontos do Estado ficaram sem luz.

Em Pelotas, a estação meteorológica do aeroporto registraram ventos de até 83 km/h, cujas rajadas danificaram imóveis residenciais e comerciais. A chuva forte e as rajadas também foram observadas na fronteira gaúcha do Brasil com o Uruguai.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) registrou ventos de 95 km/h em Santa Vitória do Palmar, de 73 km/h em Rio Grande, de 71 km/h em Canguçu e de 112 km/h em Jaguarão, onde choveu quase 33 mm em quatro horas.

As nuvens carregadas já avançavam do Uruguai desde o final da semana. Na sexta-feira e no sábado, o fenômeno provocou temporais violentos em diversas áreas da Argentina (incluindo a capital Buenos Aires) e Uruguai. A imprensa de Montevidéu reportou danos em árvores e em grandes coberturas. Em alguns locais, houve queda de granizo quase do tamanho de um ovo.

Porto Alegre

O vendaval que atingiu Porto Alegre por volta das 22h de sábado, com rajadas de vento de até 83 km/h, causou estragos na cidade, mas com impactos reduzidos, segundo a prefeitura. De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal, coronel Adriano Krukoski, há registro de três imóveis destelhados, quatro árvores caídas e falta de energia elétrica em alguns bairros.

“A nossa equipe está na rua, fazendo o levantamento de quantas casas, quantas propriedades foram atingidas para dar o respaldo e o levantamento econômico da situação”, projetou Krukoski. Ele fez a ressalva de que os danos ainda não foram totalmente contabilizados, pois ocorrências ainda estão em atendimento.

Ao menos dez ruas registram bloqueios parciais ou totais pela queda de árvores. Equipes da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação) trabalharam ao longo da madrugada de sábado para sinalizar os trechos. 
Técnicos da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos colocou cinco equipes no atendimento das demandas.

Próximos dias

A virada de setembro para outubro é acompanhada de alertas de tempo severo no Sul do País. Uma frente fria, associada a uma forte área de baixa pressão atmosférica, deve influenciar a Região nos próximos dias. Tecnicamente, até o meio desta semana há a previsão da passagem de duas frentes frias pelo Litoral e a forte baixa pressão atmosférica persistente entre o Paraguai e o Norte da Argentina.

A pressão do ar muito baixa combinada com a entrada de ar quente e úmido sobre toda a região entre o Sul do Brasil e o Paraguai é uma situação muito favorável para a formação de nuvens enormes, com alto potencial para provocar tempestades violentas, com muita chuva, granizo, ventania e até tornados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *