Vice-governador José Paulo Cairoli é o entrevistado do Pampa Debates desta segunda-feira (24). Programa destaca as principais lideranças gaúchas tradicionalmente nesta época do ano, sob a tutela de Paulo Sérgio Pinto

Como acontece todos os finais de ano, o Pampa Debates, sob a tutela de Paulo Sérgio Pinto, realiza uma série de reportagens especiais com lideranças gaúchas, que traçam um perfil do ano que chega ao fim, com uma visão sobre tendências e perspectivas para o próximo exercício.

Neste 24 de dezembro, quem ganha voz nos microfones do programa, que vai ao ar às 17h47 na TV Pampa, é o então vice-governador do Estado, José Paulo Cairoli. Ele avalia “a política mais transparente, um Estado mais voltado para as pessoas, instituído durante o atual Governo”, o que na visão de Cairoli “foi transformador”.

A chegada do vice-governador nos estúdios da TV Pampa.

O entrevistado manifesta crença na continuidade deste posicionamento pelo próximo Governo e um dos itens que destaca é a transparência adotada desde o primeiro dia de Governo, mostrando à sociedade as medidas que deveriam ser tomadas para recompor, principalmente as dívidas públicas. “Fizemos muita coisa nestes quatro anos, com uma relação muito respeitosa entre os poderes, tenho a certeza de que a partir de 2019 vamos avançar ainda mais, não podemos ter privilégios pagos pela sociedade pois o sistema brasileiro não cabe mais no bolso do brasileiro. O Federalismo precisa urgentemente mudar”. Ele lembra as situações similares ao Rio Grande do Sul pelas quais passam também Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, entre outros. “Não existem milagres, mas a sociedade está mais atenta, mais preparada para um Estado voltado mais para as pessoas e não dominado por partidos e por sindicatos”.

Cairoli aponta a importância de cortar despesas, de diminuir os gastos públicos, passando inclusive pela avaliação de direitos adquiridos pelos servidores e atesta que “tudo é muito difícil, muito complexo, há morosidade mas a sociedade urge por estas mudanças”. O vice-governador lembra que o Governo Sartori honrou os compromissos assumidos pelo Governo anterior, ao manter o aumento de salários à Segurança Pública, o que representou um déficite no orçamento de cerca de 8 bilhões de reais.

Questões relacionadas às privatizações, em especial ao Zoológico e à Fundação Zoobotânica, além do plebiscito para a privatização das estatais, não acordado pelo Parlamento são outras questões que o vice-governador aborda no programa e diz que “o Legislativo não olha para o Estado, olha para seus interesses políticos e eleitorais.  Respeito a oposição mas não respeito quem dá um grito agora e outro depois apenas por interesse. Isso precisa mudar, acredito na mudança para uma nova política”.

Entre os pontos fortes do Governo Sartori, Cairoli cita os bons resultados da Secretaria da Segurança, tendo à frente Cézar Schirmer, além da amizade firmada com o governador José Ivo Sartori, “cujas qualidades admiro como pessoa, por ter governado com ética moral”. O vice-governador diz ainda que cumpriu sua missão “com bastante afinco” e reitera a crença de que o Governo de Eduardo Leite “dará continuidade a tudo que fizemos. Assim nós vamos avançar”. Quanto ao seu futuro político, diz que o General Mourão, manifestou interesse em tê-lo como integrante do novo Governo. “Vamos conversar, por enquanto não tem nada fechado”. Cairoli finaliza enfatizando que não acredita em partidos e sim em pessoas e vê com bons olhos o Governo Bolsonaro pela forma como está compondo sua equipe de gestores. (Clarisse Ledur)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *