Terça-feira, 18 de junho de 2024

Após derrota no Congresso, Lula descarta mudar articulação política: “Em hipótese alguma”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) descartou no sábado (6), em entrevista coletiva no Reino Unido, a possibilidade de fazer alterações na equipe que cuida da articulação política entre o governo e o Legislativo – capitaneada pelo ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

“Em hipótese alguma. O Padilha é o que o País tem de melhor na articulação política”, afirmou o presidente durante coletiva de imprensa realizada em Londres, onde estava para a coroação do rei Charles III. Ele já retornou ao Brasil.

A declaração do presidente sobre a articulação política ocorre após o governo sofrer um revés no Congresso. Na última quarta-feira (3), a Câmara dos Deputados aprovou a derrubada de trechos de decretos de Lula que alteraram o marco legal do saneamento básico.

O resultado foi considerado uma derrota para o presidente, que está no começo do terceiro mandato e tenta construir uma base sólida no Congresso para apoiar medidas como a nova regra fiscal e a reforma tributária.

Apesar de negar mudanças na equipe, Lula reconheceu que os parlamentares estão insatisfeitos com promessas feitas pelo governo e ainda não cumpridas – que envolvem, segundo o próprio presidente, nomeações em ministérios e órgãos públicos.

“O fato de você acertar ou errar, nós temos que pensar o que aconteceu. Quando você governa, faz um acordo com a Câmara ou o Senado sobre a aprovação de uma medida e tem que cumprir alguma coisa, você tem que cumprir”, declarou Lula.

“O que estão se queixando os deputados? De que o governo tarda a atender as reivindicações. O cara quer participar de um ministério, tem um funcionário que ele indicou e é tecnicamente competente. Se você concorda com ele e prometeu, você tem que fazer. Não pode prometer e não fazer”, prosseguiu.

Viagem a Londres

Lula viajou ao Reino Unido para a cerimônia de coroação do rei Charles III e da rainha Camilla, realizada em Londres no sábado. Durante a cerimônia de coroação, Lula estava acompanhado da primeira-dama, Janja da Silva, que usava um vestido vermelho.

O casal sentou ao lado do presidente francês, Emmanuel Macron, que teve atritos com o ex-presidente Jair Bolsonaro, motivados principalmente pela preservação da floresta amazônica.

Na sexta (5), Lula e Janja participaram de um jantar no Palácio de Buckingham, onde foram cumprimentados pelo rei Charles III.

A embaixadora do Reino Unido em Brasília, Stephanie Al-Qaq, postou uma foto do momento em uma rede social, e disse que o cumprimento é prova do carinho do rei pelo Brasil e pelos brasileiros.

Também na rede social, Lula disse que conversou com Charles e com líderes de outros países.

Coroação 

A cerimônia de coroação do rei Charles III começou por volta das 11h no horário local (7h, no horário de Brasília) e durou cerca de quatro horas. A celebração principal ocorreu na Abadia de Westminster, quando o rei recebeu a coroa de St. Edward e fez um juramento.

Casada com Charles, a rainha Camilla também foi coroada no evento. Em seguida, rei e rainha seguiram em desfile até o Palácio de Buckingham.

Ao fim da Procissão de Coroação, fizeram uma aparição na varanda da residência oficial. Em seguida, a Força Aérea Real fez uma apresentação nos céus de Londres.

Aos 74 anos, Charles assume a função em um momento delicado, com a economia britânica pressionada pela inflação e com a família real envolvida em uma série de polêmicas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Após a primeira derrota sofrida no Congresso, o governo agora prepara um pacote bilionário de benesses para ser distribuído entre integrantes da base
“Esse é o jogo democrático”, diz Lula sobre derrota no Congresso
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play