Sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

Asteroide com potencial para acertar a Terra passará “perigosamente” próximo do planeta nesta segunda-feira

O asteroide 1994 XD se aproximará da Terra nesta segunda-feira (12). A formação rochosa, que orbita ao redor do sol a cada 3,6 anos, está em uma distância considerada de risco pela Nasa como “potencialmente perigosa”.

Segundo a agência espacial dos Estados Unidos os asteroides que se enquadram nessa categoria têm chance de um dia acertar o planeta Terra, mesmo os que demonstram baixa probabilidade.

Com diâmetro estimado entre 370 e 830 metros, ainda segundo dados da Nasa, o 1994 XD foi nomeado com o ano de sua descoberta pelo Observatório Kitt Peak, nos Estados Unidos, e é do tipo binário – composto por dois objetos que giram em torno de um centro de massa comum.

Para efeito de comparação, o corpo celeste tem o tamanho de uma a duas torres do antigo World Trade Center, cujos arranha-céus tinham 415 e 417 metros de altura. Sendo assim, caso o objeto realmente colidisse com o planeta, o potencial destrutivo seria inimaginável e devastador.

Riscos para a humanidade

Será que o astro oferece riscos reais de arruinar o “Dia dos Namorados” de nós, brasileiros? Spoiler: calma, por ora, não há motivos para pânico.

Isso porque o portal Virtual Telescope Project, que vai monitorar ao vivo a passagem do asteroide, afirma que o visitante espacial não apresenta riscos para os terráqueos, uma vez que ele passará a 3,1 milhões de quilômetros, ou oito vezes a distância entre o planeta Terra e a Lua.

Contudo, quando asteroides são classificados como “potencialmente perigosos”, os observatórios passam a monitorá-los constantemente por risco de colisões futuras, em caso de mudanças gravitacionais que possam colocá-los em rota de colisão com o nosso planeta. A propósito, uma nova passagem do 1994 XD pela Terra deve ocorrer no ano de 2041.

Mudança de rota

Em 2022, a Nasa promoveu uma colisão proposital da sonda Dart contra a lua Dimorphos, de 160 metros de diâmetro, com objetivo de verificar se o impacto alteraria a trajetória do asteroide.

Posteriormente, a agência norte-americana celebrou o resultado, revelando uma alteração de 4% na rota do objeto, o que poderia significar, no futuro, a salvação do planeta Terra.

“Todos nós temos uma responsabilidade de protegermos nosso planeta. Afinal, ele é o único que temos”, disse Bill Nelson, administrador da agência, na ocasião. “Essa missão mostra que a Nasa está tentando ficar pronta para o que quer que o Universo jogue na nossa direção.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Você viu?

Mulheres entre 18 e 55 anos estão morrendo mais de infarto
Quem foi o “Unabomber”, criminoso que inspirou série e foi encontrado morto no sábado
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play