Terça-feira, 05 de julho de 2022

loader

Asteroide do tamanho da Torre Eiffel viaja na direção da Terra

Um asteroide do tamanho da Torre Eiffel passará próximo à Terra pouco antes do Natal, segundo detectou a agência espacial norte-americana (Nasa). O corpo celeste, chamado de Nereus 4660, foi observado pela primeira vez em 1982 e, desde então, é monitorado por cientistas.

Especialistas da Nasa apontam, no entanto, que não há motivo para preocupação, já que o o asteroide passará, em 11 de dezembro, a cerca de 3,9 milhões de quilômetros, em torno de dez vezes a trajetória entre Terra e Lua. A distância é considerada de “potencial perigo”, mas não implica impacto sobre o planeta, de acordo com cientistas.

A previsão é que o corpo rochoso alcance a menor distância para a Terra em fevereiro de 2060, quando deverá estar a aproximadamente 1,2 milhão de quilômetros. A Nasa prevê que o asteroide deve chegar perto do planeta outras 12 vezes durante os próximos 175 anos.

O Nereus 4660 mede 330 metros de diâmetro e viaja a uma velocidade de 6.578 km/s. Cientistas veem no asteroide um bom alvo para exploração justamente por passar perto da Terra. De acordo com a Nasa, se fosse lançada uma missão ainda este ano, demoraria até 426 dias para alcançar a superfície do corpo celeste.

Adiamento

A Nasa segue trabalhando a todo vapor no programa Artemis, para levar novos astronautas à superfície da Lua. A ideia era que isso acontecesse em 2024, mas, devido a uma série de obstáculos, a agência espacial precisou mudar de planos. Segundo informações dos oficiais da Nasa divulgadas nesta terça-feira (9), o pouso lunar precisará ser adiado em pelo menos um ano e não ocorrerá antes de 2025.

De acordo com Bill Nelson, administrador da agência espacial, o pouso acontecerá a partir de 2025 em função de fatores diversos, como o processo judicial movido pela Blue Origin e motivado pelo desenvolvimento do lander que levará os astronautas à superfície da Lua, além de atrasos relacionados ao desenvolvimento da cápsula Orion. “Nós perdemos quase sete meses com litígios, e isso provavelmente adiou o primeiro pouso tripulado para não acontecer antes de 2025”, disse ele.

Conforme Nelson, a Nasa ainda entrará em contato com a SpaceX, empresa responsável pelo lander, para elaborar um cronograma mais preciso. Esta foi a primeira vez em que a agência espacial reconheceu publicamente que não seria possível lançar a missão tripulada para um pouso na Lua em 2024, ano proposto pelo governo do ex-presidente Donald Trump – o vice-presidente Mike Pence, da gestão de Trump, declarou que “a primeira mulher e o próximo homem norte-americano deveriam ir para a superfície lunar por todos os meios necessários”.

Apesar de o governo do atual presidente Joe Biden dar apoio à data, a equipe de transição presidencial reconheceu que este não era um prazo realista. Em paralelo, a Nasa vem enfrentando obstáculos políticos e técnicos enquanto tentava cumprir o objetivo – um deles foi o longo processo jurídico envolvendo a Blue Origin, empresa fundada por Jeff Bezos, e o contrato para a construção do lander lunar. Embora tenha saído vitoriosa, a agência espacial precisou pausar o desenvolvimento do lander lunar por meses enquanto o processo se desenrolava na Justiça.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Médico cita choque ao reconhecer corpo de Marília em acidente aéreo
Computador feito à mão por Steve Jobs e Wozniak há 45 anos será leiloado
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play