Terça-feira, 16 de agosto de 2022

Carboidratos do bem: 8 opções para comer sem culpa e emagrecer

Falar em carboidratos do bem, para algumas pessoas, é algo inimaginável. Afinal, por muito tempo cultivou-se uma crença de que esse macronutriente era, na verdade, um grande vilão em dietas saudáveis e, principalmente, de emagrecimento.

No entanto, é necessário lembrar que os carboidratos do bem não apenas existem, como exercem funções indispensáveis para o bom funcionamento do organismo. Quando consumidos de maneira correta, eles são boas fontes de energia, controladores dos níveis de glicose e reguladores de insulina. Fundamentais, seja para quem pretende emagrecer, ganhar massa muscular ou simplesmente ter uma vida mais saudável.

O que, provavelmente, gera dúvida nas pessoas e as deixam receosas se realmente existem carboidratos do bem para comer sem culpa, são os cuidados que devemos tomar com tipos específicos do macronutriente: os refinados e industrializados. Presentes em doces, massas e biscoitos, normalmente, eles são encontrados em forma de açúcar e farinha branca.

“Quando falamos desses cuidados, não nos referimos a frutas e raízes, mas o processo de acrescentar muito açúcar e farinha nos alimentos de forma não calculada. Isso leva a algumas alterações metabólicas, como resistência à insulina, aumento de gordura de maneira geral (principalmente abdominal), diabetes e excesso de colesterol”, alerta a nutricionista Isabela Zago.

Para evitar que isso ocorra, a profissional separou oito opções de carboidratos do bem, que você pode comer sem culpa e até mesmo adicionar em uma dieta de emagrecimento. Claro, desde que tudo esteja devidamente calculado e ajustado para as suas condições e objetivos.

Confira: Aveia; Frutas (inteiras e não processadas); Batata-doce; Arroz integral; Batata baroa (ou mandioquinha); Pão integral; Grãos (ervilha, feijão, grão de bico e lentilha); Sementes.

Esses carboidratos do bem são conhecidos por terem um baixo índice glicêmico e, consequentemente, uma absorção mais lenta no organismo. Isso significa que o corpo vai produzir energia de maneira gradativa e, dessa maneira, dificilmente não usará todas essas calorias. Evitando, assim, o estoque em forma de gordura.

Já os carboidratos a base de açúcar e farinha branca são absorvidos rapidamente pelo organismo, provocando grandes picos de energia. Na maioria das vezes essas calorias não são totalmente utilizadas e, além de causarem prejuízos para a saúde, são armazenadas em forma de gordura.

“Os carboidratos são bem-vindos desde que planejados. Cada pessoa deve ser avaliada de forma individual. Devemos organizar e entender se aquele paciente apresenta algum quadro patológico. Se for um paciente diabético, por exemplo, a recomendação é diferente de um paciente que quer apenas emagrecer”, finaliza Isabela.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

WhatsApp testa função que libera criação de grupos com até 512 participantes
Saiba como os vírus podem ser armas poderosas para cura do câncer
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play