Terça-feira, 23 de julho de 2024

CBF nega proibição a cabelo rosa de jogadores

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou um pronunciamento nesta sexta-feira (14), após Yan Couto ter declarado que foi pedido para não tingir o cabelo antes da Data Fifa. Em nota, a entidade enfatizou a liberdade, autoexpressão e livre construção da personalidade de cada indivíduo.

O lateral-direito do Girona afirmou que a entidade máxima do futebol brasileiro pediu pra que ele tirasse a coloração rosa do seu cabelo para jogar os últimos amistosos antes do início da Copa América. Nos amistosos de março desse ano, ele apareceu nas partidas da seleção sem a tintura e com a cor natural do cabelo.

Sem citar a declaração do lateral-direito, a entidade que comanda o futebol no país negou o veto e falou em “compromisso com o bom futebol”. Além disso, voltou a falar sobre a luta contra qualquer tipo de preconceito no futebol.

Segundo apurou a ESPN, a nota foi motivada por um incômodo nos bastidores com a repercussão do caso envolvendo o cabelo de Yan Couto. Institucionalmente, a entidade quis reforçar que não teve ligação direta com o caso com o jogador.

A conversa com o atleta aconteceu através do departamento de seleções, liderado por Rodrigo Caetano, com a comissão técnica de Dorival Júnior.

Fato é que a CBF acabou sendo contestada tanto interna, quanto externamente, já que vinha defendendo a inclusão da pauta do combate à homofobia em sua agenda.

O coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQ+, parceiro da CBF e citado no comunicado oficial da entidade, inclusive, enviou ofício cobrando um posicionamento da confederação sobre o tema.

Entenda o caso

Em entrevista ao canal de YouTube da jornalista Yara Fantoni, o lateral-direito do Girona disse que foi orientado a não usar cabelo pintado de rosa quando estiver a serviço da seleção brasileira.

O atleta não especificou de quem partiu o pedido, mas afirmou que acatou a “ordem” e não vai tingir seu cabelo de qualquer cor quando for chamado para defender o Brasil.

O jogador, que está na delegação que vai disputar a Copa América, relatou que a cor rosa foi apontada como indicativo de imagem de “vacilão”, e que, portanto, seu uso não seria recomendado.

Vale lembrar que Couto virou sensação ao atuar com o cabelo pintado na Espanha – a cor foi escolhida para agradar sua irmã, que gosta da tonalidade.

“Na seleção vou de cabelo preto, vou tirar o rosa. Pediram. Basicamente isso, pediram, falaram que o rosa é meio ‘vacilão’”, explicou Yan, que afirmou que discordou do requerimento, mas preferiu acatar.

“Não acho, mas vou respeitar, me pediram e vou tirar. Eu uso o rosa no Girona, virou moda, todo mundo usa na cidade”, complementou.

Orientações da CBF

A nova direção da CBF alinhou algumas orientações a serem seguidas a partir de então na Seleção Brasileira. Conheça algumas delas:

* Tomar o cuidado de passar uma imagem de seriedade.
* Evitar utilizar brincos chamativos.
* Não utilizar colares extravagantes.
* Utilizar as redes sociais de forma sóbria e com discrição, sem brincadeirinhas.
* Utilização do celular na mesa de jantar apenas após terminar a refeição.
* Evitar chegar ao estádio com fones ou ouvindo música alta.
* Evitar que os atletas apareçam em vídeos oficiais ouvindo música e brincando no vestiário.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Eleição europeia agrava risco de protecionismo contra o Brasil
Investigação sobre submarino que implodiu com bilionários no fundo do mar atrasa; entenda
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play