Terça-feira, 25 de junho de 2024

Com 296 mil, Brasil bate novo recorde de casos de covid conhecidos nem 24 horas

O Brasil registrou nessa quinta-feira (3) 917 novas mortes pela covid nas últimas 24 horas, totalizando 629.995 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 689 – a maior registrada desde 26 de agosto do ano passado (quando estava em 696). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +168%, indicando tendência de alta nos óbitos decorrentes da doença.

Também houve recorde de casos conhecidos registrados em um só dia.

Assim como na véspera, nenhum estado apresenta tendência de queda nas mortes por covid; todos estão em alta ou estabilidade. Isso não ocorria desde 12 de janeiro de 2021, há mais de um ano.

O País também registrou 286.050 novos casos conhecidos de covid no período de 24 horas, chegando ao total de 26.099.735 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia, superando a marca dos 26 milhões. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi a 188.116. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +58%, indicando tendência de alta nos casos da doença.

É o maior número de casos conhecidos registrados em um só dia desde o início da pandemia, um recorde superando a marca de 28 de janeiro (quando tivemos 257.239 casos conhecidos).

A média móvel de vítimas da doença atinge agora um patamar mais de 3 vezes maior do que estava às vésperas do ataque hacker que gerou problemas nos registros em todo o Brasil, ocorrido na madrugada entre 9 e 10 de dezembro. Na época, essa média indicava 183 mortos por covid a cada dia.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados nessa quinta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Estados

Nenhum Estado registrou tendência de queda na média de óbitos pela doença.

— Em alta (24 Estados e o DF): Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal.

— Em estabilidade (2): Acre e Roraima.

Vacinação

Os dados mais recentes do consórcio de veículos de imprensa mostram que 150.625.718 pessoas estão totalmente imunizadas contra o coronavírus. Este número representa 70,11% da população total do País. A dose de reforço foi aplicada em 48.935.802 pessoas, o que corresponde a 22,78%.

A parcela com 5 anos de idade ou mais que está parcialmente imunizada é de 82,95% e a com 5 anos ou mais que está totalmente imunizada é de 75,26%. A dose de reforço foi aplicada em 30,25% da população com 18 anos de idade ou mais, faixa de idade que atualmente pode receber o reforço da vacinação.

No total, 2.455.668 doses foram aplicadas em crianças, que estão parcialmente imunizadas. Este número representa 11,98% da população nessa faixa de idade que tomou a primeira dose.

Estados com maiores percentuais de totalmente imunizados (2ª dose + dose única): São Paulo (79,53%), Piauí (77,16%), Minas Gerais (73,88%), Mato Grosso do Sul (72,78%) e Rio Grande do Sul (72,54%).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Cocaína “envenenada” deixa ao menos 23 mortos e mais de 80 hospitalizados na Argentina
Governadores discutem fundo para estabilizar preço dos combustíveis
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play