Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Comandantes das Forças Armadas dizem a Lula que defendem punição de militares envolvidos em atos extremistas

Antes de embarcar para a África do Sul, onde participa da reunião de cúpula do Brics  (grupo formado por Rússia, Índia, China, Brasil e África do Sul), o presidente Lula se reuniu, no sábado (19), com o ministro da Defesa, José Múcio, e os comandantes das Forças Armadas no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Durante o encontro, os comandantes disseram que a Marinha, o Exército e a Força Aérea defendem a investigação e punição de militares que tenham se envolvido nos atos extremistas de 8 de janeiro, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas na capital federal.

“Foi uma reunião para falar de tudo. Nela, também falamos sobre a questão dos atos de 8 de janeiro. Falamos que às Forças Armadas interessa que tudo seja esclarecido, investigado e que militares que tenham se envolvido em atos golpistas sejam devidamente punidos”, disse o ministro da Defesa.

A reunião começou às 18h e terminou por volta das 20h. Além das investigações sobre os atos radicais, o presidente tratou dos projetos de investimentos nas três forças.

A Marinha é comandada pelo almirante Marcos Sampaio Olsen. O general Tomás Miguel Paiva é o comandante do Exército. Já a Força Aérea está sob o comando do tenente-brigadeiro-do-ar Marcelo Damasceno. As informações foram divulgadas pelo jornalista Valdo Cruz, da Globonews.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Candidato de centro-esquerda Bernardo Arévalo é eleito presidente da Guatemala
Saiba quem são Luisa González e Daniel Noboa, candidatos que disputarão o segundo turno das eleições presidenciais no Equador
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play