Sábado, 13 de abril de 2024

Descubra como baixo de Paul McCartney foi encontrado após cinco décadas perdido

Ninguém parecia saber o que havia acontecido com um dos baixos mais importantes da história da música, embora nas décadas desde seu desaparecimento tenha havido alguns rumores dramáticos. O baixo violino Höfner, que acompanhou Paul McCartney e os Beatles à fama mundial, estava guardado em uma coleção particular? Teria sido enviado secretamente para um fã rico no Japão?

Acontece que o baixo estava passando o tempo em um local mais modesto: o loft de uma casa de família em East Sussex, Inglaterra. A família informou o paradeiro do instrumento no final de setembro, depois que alguns jornalistas e um especialista em baixos iniciaram em 2023 uma nova campanha pela busca, mais de 50 anos depois de ele ter sido visto pela última vez.

O baixo, que foi autenticada pelo fabricante, foi devolvida a McCartney, de acordo com comunicado publicado em seu site na última quinta-feira. “Paul está extremamente grato a todos os envolvidos”, dizia o texto.

Foi o desfecho de um mistério duradouro que mobilizou os fãs dos Beatles, incluindo um grupo que reuniu suas habilidades para ajudar a encontrá-lo.

O baixo Höfner 500/1 é uma parte preciosa da tradição dos Beatles. Pode ser ouvido em gravações de canções de sucesso, incluindo “Love me do”, “She loves you” e “Twist and shout”.

Depois de se tornar baixista da banda, McCartney precisava desesperadamente de um baixo e comprou o instrumento em uma loja de música em Hamburgo, na Alemanha, em 1961.

“Comprei meu baixo violino na loja Steinway, no centro da cidade”, lembrou ele em uma entrevista de 1993 para a Guitar Magazine. Custou o equivalente a 30 libras – barato o suficiente para ele pagar. “E assim que comprei, me apaixonei por ele”, disse ele. “Para um baixo leve e pequeno, tem um som muito rico.”

Enquanto o Fab Four encontrava um turbilhão de fama, McCartney tocou o Höfner em centenas de shows, incluindo os primeiros shows no Cavern Club em Liverpool, Inglaterra, onde os Beatles conheceram seu futuro empresário, Brian Epstein, e para as gravações do álbum da banda dois primeiros álbuns.

Uma das últimas aparições do baixo foi em Londres, em 1969, em uma filmagem da banda escrevendo seu álbum “Let It Be”. Algum tempo depois disso, ele desapareceu.

Os esforços para localizar o baixo ficaram paralisados até setembro passado, quando dois jornalistas e um especialista em Höfner retomaram a busca e apelaram ao público por dicas.

“É um instrumento icônico”, disse Nick Wass, consultor semi-aposentado de Höfner que trabalhou com McCartney. “Com ele, começou a Beatlemania.”

Entre as centenas de respostas recebidas havia algumas pistas promissoras, disse Scott Jones, jornalista que trabalhou no projeto com sua esposa, Naomi Jones.

Um engenheiro de som que trabalhou com McCartney lembrou que o baixo havia sido deixado na traseira de uma van em 1972 e que ladrões a invadiram. Outra dica, disse Scott Jones, sugeria que o instrumento havia sido roubado na vizinhança e depois vendido por um pouco de dinheiro e “um pouco de cerveja grátis” para Ronald Guest, o proprietário de um pub local.

Então, no final de setembro, a família do proprietário, que mora na cidade de Hastings, no sudeste da Inglaterra, procurou o estúdio de McCartney: será que a guitarra no loft deles seria o baixo que faltava?

“Achamos que este baixo teria uma jornada mais chamativa”, disse Jones, acrescentando que, na verdade, a pesquisa indicou que a guitarra permaneceu na mesma família. “Em todos esses anos, quase não percorreu qualquer distância.”

Jones disse que um membro da família Guest entregou o baixo ao estúdio de McCartney em Sussex, Inglaterra.

Postagens nas redes sociais pareciam mostrar Ruaidhri Guest, 21 anos, segurando o instrumento. Ele não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, mas disse em um post na sexta-feira que a família divulgaria os detalhes “no devido tempo”.

Logo após o surgimento do baixo, no final de setembro, Wass dirigiu da Alemanha para a Inglaterra para ajudar a autenticar que era, de fato, aquele Höfner.

“Lá estava ele em minhas mãos”, disse Wass, acrescentando que estava procurando o baixo desde que McCartney perguntou sobre ele, há vários anos. Encontrá-lo, disse ele, foi “emocionante”.

“Não demorei mais de 10 segundos para saber que era o caminho certo”, disse ele. Wass apontou para as partes e cores distintas do instrumento para canhotos.

O baixo sofreu alguns danos, disse ele, incluindo um braço quebrado, e precisaria ser consertado.

Sua descoberta surpreendeu até mesmo seus pesquisadores, que disseram estar esperançosos, mas realistas em relação às suas perspectivas enquanto reuniam as pistas de recortes e dicas de arquivos. “Achávamos que nunca o encontraríamos”, disse Jones. “Se tivéssemos que ser honestos, as chances eram provavelmente muito, muito pequenas.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Música

Empresa privada revela primeiras imagens transmitidas por sonda que vai pousar na Lua
Áudio revela embate de viúva de Gal Costa com filho da cantora por dinheiro: “É o dono da bola agora?”
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play