Sábado, 22 de junho de 2024

Duas mães presas por suspeita de entregar as próprias filhas para abusos sexuais no Rio Grande do Sul

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul prendeu preventivamente duas mulheres suspeitas de entregar as próprias filhas para abusos sexuais nos municípios de Cachoeirinha e Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre. As buscas realizadas fazem parte da segunda fase da Operação La Lumière.

A ação da Polícia Civil começou em 27 de abril, quando um homem, suspeito de cometer os abusos, foi preso em flagrante na cidade de Imbé. Na ocasião, uma outra mãe, com quem ele começou a exploração sexual, também foi detida.

Na operação realizada na quarta-feira (17), foram presas uma mulher de 26 anos, mãe de uma menina de 7 anos, e outra, de 23, mãe de um bebê de 1 ano e uma criança de 3 anos.

Conforme a delegada Camila Defaveri, elas estiveram juntas em hotéis na cidade de Porto Alegre, realizando programas. As duas mulheres foram conduzidas para o presídio. As crianças foram encaminhadas para perícia psíquica e verificação de violência sexual no CRAI-IGP (Centro de Referência em Atendimento Infanto-juvenil do Instituto-Geral de Perícias) por equipes do Conselho Tutelar.

Operação La Lumière

A Operação começou no mês de abril com buscas realizadas em duas propriedades de um homem de 41 anos, onde foram apreendidos diversos instrumentos sexuais, calmantes de venda controlada, dopantes, entre outras coisas.

Além disso, celulares e computadores com o histórico de todas as conversas. Entre elas, troca de mensagens com uma mulher, mãe de três filhas, foram localizados. Também foram realizadas buscas na casa mulher, onde apreenderam celulares e computadores que detinham conversas com homem com imagens, inclusive das crianças, negociando encontros e combinando valores.

Na ocasião, o homem suspeito de abuso e a mãe, com quem ele trocou mensagens, foram presos. Conforme a investigação, o indivíduo busca conhecer mulheres vulneráveis, tanto em ONGs, Instituições de Amparo quanto em sites de prostituição, que tenham filhos menores de idade. Ele as convida para participação de encontros “familiares”, demonstrando boas intenções, ao solicitar PIX para imediato depósito.

Em seguida, iniciam as combinações, remetendo a tabelas de valores a serem pagos por ele para a prática de determinados atos com as infantes. A delegada Camila Defaveri classificou que o suspeito mantinha um “cardápio de abusos”. Ele contém, inclusive, imagens de animes, já com o modelo do abuso.

“Tem tabelas de preços estilo cardápio e os valores, por exemplo: passear os três juntos no shopping (300 reais), comer juntos (100 reais), ver filmes juntos no sofá ou na cama (mais 250), dormir os três juntos (500), tomar banho juntos vestidos de cueca (800) e dar banho nela (1500)”.

Após, combinado os valores, marcam o encontram, em locais reservados, em hotéis nas cidades ou em uma de suas residências em Imbé, no litoral gaúcho.

Até o momento quatro pessoas foram presas. “Três mães, mulheres que exploram as filhas, e um explorador, abusador, que seria o cabeça da organização criminosa”, finaliza Camila.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Inter desembarca em Porto Alegre após derrota para o América-MG sob protesto da torcida; veja imagens
Vacinação contra a covid segue nesta sexta-feira em Porto Alegre
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play