Terça-feira, 18 de junho de 2024

Elon Musk promove informações falsas sobre a guerra em Israel na rede social X, antigo Twitter

Em meio a guerra entre militantes da Faixa de Gaza e Israel e informações desencontradas na rede social X – antigo Twitter no final de semana, Elon Musk recomendou pessoalmente que os usuários seguissem contas conhecidas por promover mentiras.

“Para acompanhar a guerra em tempo real, @WarMonitors e @sentdefender são bons (perfis)”, publicou Musk na plataforma na manhã de domingo (8) para 150 milhões de contas de seguidores. Essa publicação foi visualizada 11 milhões de vezes em três horas, atraindo agradecimentos dessas duas contas, antes que Musk a excluísse. Ambas estavam entre os mais importantes divulgadores iniciais de uma falsa explosão perto da Casa Branca, em maio deste ano.

Os pesquisadores disseram que o novo conflito foi um teste inicial de como o X renovado transmite dados precisos durante uma grande crise, e que a impressão imediata foi ruim.

“A evidência anedótica de que o X está falhando nesse teste de estresse é abundante”, disse Mike Caulfield, cientista pesquisador do Centro para um Público Informado da Universidade de Washington. “Vá até a plataforma, faça uma pesquisa sobre Israel ou Gaza – você não precisa ir muito longe para encontrar informações duvidosas ou desmascaradas”.

Musk deixou suas respostas para as duas contas que ele havia promovido, cada uma com mais de 600 mil seguidores, aumentando a visibilidade delas. Ele também continuou a criticar a “mídia convencional”, dizendo aos usuários para confiarem no X.

Emerson T. Brooking, pesquisador do Atlantic Council Digital Forensics Research Lab, publicou que o perfil @sentdefender é uma “conta absolutamente venenosa, que publica regularmente coisas erradas e não verificáveis, inserindo editorializações aleatórias e tentando aumentar o número de assinantes pagos”.

Outras contas no X atraíram engajamento com fotos ou vídeos de ataques não relacionados de anos anteriores e falsas alegações de que o Irã ou outros países haviam entrado no conflito.

Uma conta que imitava o jornal israelense The Jerusalem Post informou falsamente que o primeiro-ministro de Israel havia sido levado ao hospital, obtendo mais de 700 mil visualizações.

Diversas contas divulgaram um documento falso dizendo que a Casa Branca havia aprovado US$ 8 bilhões em ajuda a Israel. Outros postaram vídeos de edifícios desmoronando na Síria no passado e disseram que estavam em Gaza.

Desafio

O X e outras fontes de informação em tempo real estão especialmente sujeitos a rumores, afirmações falsas e propaganda durante grandes eventos. Pesquisadores disseram que o X ficou muito menos confiável desde que Musk assumiu o controle há quase um ano. O bilionário encerrou a prática de conceder selos de “verificado” a contas de mídia estabelecidas, parou de rotular algumas contas como afiliadas ao governo e começou a enviar dinheiro para contas que atraíam muito engajamento, recompensando as visualizações e não a precisão dos conteúdos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Grupo terrorista Hamas ameaça matar um refém a cada bombardeio de Israel
Passa de 1.500 o número de mortos após ataque do Hamas contra Israel
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play