Segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

loader

Empresária que forjou sequestro enviou imagens encapuzada ao marido, mas acabou presa

Presa por forjar o próprio sequestro nesta quinta-feira, a empresária Ruana Sabrina Fortunato Freitas, de 28 anos, chegou a registrar imagens de si mesma encapuzada e com as mãos para trás, para simular que estava sob poder dos supostos sequestradores. Ela enviou as fotos e vídeos para o próprio marido, o também empresário Laudelino Luiz de Souza Saretto Filho, que denunciou registrou boletim de ocorrência. Após as investigações, a Polícia Civil constatou que tudo não passava de uma farsa.

Ruana foi presa pela Polícia Civil do Mato Grosso. Embora tenha enviado as imagens para o próprio marido, na qual parecia ser mantida em cárcere privado, ela foi localizada conduzindo o próprio veículo em uma avenida da capital. A empresária foi autuada por falsa comunicação de crime e estelionato.

Na madrugada de quinta-feira, o marido de Ruana registrou o boletim de ocorrência na 1ª Delegacia de Várzea Grande. Segundo o relato, eles estavam em uma festa no bairro Nova Várzea Grande. A empresária disse que iria até uma distribuidora de bebidas conduzindo sua caminhonete e não retornou.

A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) iniciou a apuração da ocorrência como um possível caso de sequestro. De acordo com a Polícia Civil, a localização da caminhonete foi constatada no final da manhã. Estava na região do Coxipó, distrito da região. O veículo foi encontrado por equipes da unidade, sem a placa traseira, e era conduzido pela suposta vítima de sequestro.

Durante o interrogatório, a empresária confessou o crime e alegou ter forjado o próprio sequestro e o roubo do carro. Segundo o delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, ela contou que o objetivo inicial era vender o veículo no mercado clandestino, para depois receber o valor do veículo pela seguradora.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Polícia

Brasileiro baleado nos Estados Unidos recebe alta após três meses internado
Justiça do Distrito Federal condena a 24 anos de prisão vigilante que emboscou e matou a ex com 48 golpes de tesoura
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play