Domingo, 21 de julho de 2024

Especialista explica quando a palpitação no peito é ansiedade e quando pode ser um problema cardíaco

Segundo a última edição da pesquisa Inquérito Telefônico de Fatores de Risco para Doenças Crônicas Não Transmissíveis (Covitel), de 2023, 26,8% dos brasileiros relatam sofrer com ansiedade. Os últimos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema apontam que o Brasil é o país que tem maior prevalência do problema.

Um dos sintomas que caracterizam a ansiedade, seja ela passageira ou patológica, é a chamada taquicardia, a aceleração dos batimentos cardíacos. “Muitas pessoas sentem palpitações como um sintoma de ansiedade e ataques de pânico”, disse Yuko Nippoda, psicoterapeuta e porta-voz do Conselho de Psicoterapia do Reino Unido (UKCP) ao jornal britânico The Mirror.

Mas como saber se a palpitação sentida no peito é de fato uma resposta ansiosa ou um alerta para um possível problema cardíaco? Nippoda explica que uma das formas é prestar atenção a quais outros sintomas acompanham a frequência irregular do coração:

“Quando as pessoas têm ataques de ansiedade e pânico, elas ficam trêmulas, suadas, com náuseas, tensas, inquietas e têm dificuldade para dormir. Elas também podem ter desconforto abdominal.”

Ela cita, por exemplo, que a dificuldade para relaxar, a impaciência acima do normal, um maior estado de nervosismo são outros sinais que indicam ser uma palpitação causada pela ansiedade. Além disso, quando o quadro é associado a um gatilho, como muita pressão no trabalho, isso também ajuda a identificá-la – embora a ansiedade possa aparecer sem causa aparente.

No entanto, caso isso seja recorrente, ou seja uma palpitação grave, é importante buscar uma opinião especializada, que é a única capaz de definir com precisão. “Aqueles que estão realmente preocupados devem procurar orientação médica, por segurança”, recomendou Oliver Segal, cardiologista da The Harley Street Clinic, no Reino Unido.

O especialista pontua ainda que, assim como há sinais que ajudam a determinar que a palpitação é associada à ansiedade, existem outros que devem acender o alerta de que pode se tratar de um problema com o coração:

“Se você também sentir falta de ar, dor no peito, desmaio, tontura ou desmaio, todos esses são sinais de alerta em potencial. Os sintomas que ocorrem sem estresse são naturalmente mais prováveis de estarem relacionados ao coração, assim como os sintomas que o acordam à noite. Os sintomas com exercícios podem, às vezes, ser muito sérios e devem ser examinados.”

Segundo o Ministério da Saúde, a dor que pode indicar um infarto agudo do miocárdio envolve a região peitoral, podendo irradiar para as costas, rosto, braço esquerdo e, raramente, braço direito. “Essa dor costuma ser intensa e prolongada, acompanhada de sensação de peso ou aperto sobre o tórax, provocando suor frio, palidez, falta de ar e sensação de desmaio”, alerta a pasta.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

X, antigo Twitter, oculta curtidas após liberar pornografia na plataforma
Nahim tinha lesão no lado direito do rosto quando foi encontrado morto, diz cunhada do cantor
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play