Domingo, 25 de fevereiro de 2024

Fraude no futebol brasileiro: pelo menos 130 partidas suspeitas de manipulação

O Sportradar Integrity Services, agência de monitoramento de apostas em âmbito mundial, identificou mais de 130 partidas suspeitas de manipulação de resultado no futebol brasileiro, a maioria em ligas inferiores, até 16 de outubro. Cláusulas confidenciais de contrato impedem a Sportradar de revelar quais partidas apresentaram suspeitas.

A empresa também detectou mais de mil jogos sob suspeita em 2022 em mais de 86 países, abrangendo 12 esportes diferentes, novo recorde, superando os 905 casos registrados em 2021. Quando há suspeita de manipulação de resultados, no geral e se possível, a confirmação é realizada em até 24 horas após o término da partida. O relatório, em português, é enviado em até 72 horas.

As apostas esportivas atualmente permitem apostar em qual time teve mais escanteios em um jogo, por exemplo, ou até qual equipe receberá um número específico de cartões. O Sportradar se utiliza de um sistema de monitoramento usado para detectar padrões de apostas irregulares e suspeitos. Ele é provido por algoritmos sofisticados de machine-learning e um banco de dados de apostas, que coleta em tempo real informações de mais de 600 operadores globais de apostas.

Acordo com a CBF

A Sportradar atua no Brasil desde 2016 e assinou acordo com a CBF para monitorar jogos organizados pela entidade, além de atender a diferentes federações. A empresa também assinou um Memorando de Entendimento com a Polícia Federal em um acordo de cooperação para investigações sobre violações da integridade esportiva no território nacional.

No início deste ano, o Campeonato Cearense chegou a ser suspenso sob suspeita. O Crato foi rebaixado após terminar a primeira fase na lanterna com 39 gols sofridos em 14 jogos – foi punido pelo TJD-CE e excluído da competição.

Outra denúncia de irregularidades ocorreu no futebol amazonense. O Atlético Amazonense perdia por 3 a 1 para o Sul América na segunda divisão estadual quando um jogador deliberadamente marcou um gol contra aos 44 minutos da etapa final. O fato chamou atenção e o vídeo do lance viralizou nas redes sociais. O clube publicou nota um dia após o jogo e informou que dispensou os envolvidos no episódio.

Banimento

O presidente do Atlético Amazonense, Henrique Barbosa, foi banido pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas das atividades relacionadas ao futebol e recebeu multa de R$ 100 mil, no mês passado, por suposta participação em esquema de resultados. Barbosa terá audiência hoje no STJD para recorrer da punição.

Ele foi enquadrado nos artigos 240 (aliciar atleta autônomo ou pertencente a qualquer entidade desportiva) e 242 (dar ou prometer vantagem indevida a membro de entidade desportiva) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Já o jogador Júlio Campos foi suspenso por 300 dias e multado em R$ 25 mil pelo gol contra.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de futebol

Ministério da Economia reduz previsão do PIB no Brasil em 2023 de 2,5% para 2,1%
Justiça condena falso investidor da Bolsa por crime de estelionato
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play