Terça-feira, 18 de junho de 2024

Governo da Argentina sinaliza a Brasil interesse em fechar acordo Mercosul-União Europeia

Integrantes do governo Milei disseram a diplomatas brasileiros haver interesse da nova gestão da Casa Rosada em fechar o acordo entre o Mercosul e a UE (União Europeia).

Os novos negociadores argentinos do acordo já entraram em contato com os brasileiros e passaram esse interesse, segundo fontes da diplomacia brasileira. Afirmaram ainda que algumas restrições impostas pelo governo anterior de Alberto Fernández não se justificam.

Sobre o Mercosul propriamente dito, a ideia passada foi da necessidade de aprimoramento e ampliação de efetividade, inclusive, com a defesa de mais acordos externos para o bloco.

Outros sinais sobre os rumos da relação foram dados com mais ênfase em um encontro nesta segunda-feira (11) no Palácio San Martin, que funciona como um cerimonial do Ministério das Relações Exteriores argentino.

Ali se encontraram diplomatas e empresários brasileiros e argentinos com a presença da nova chanceler do país vizinho, Diana Mondino. Neste encontro foram apresentadas demandas e dúvidas dos dois lados e segundo os presentes foram dados dois recados sobre temas específicos do comércio entre os países.

Mondino disse que o interesse do novo governo era acabar com restrições a remessas de recursos entre os dois países e também a importação de insumos. Mas pediu, ainda segundo relatos, paciência para o fim dessas restrições e que elas estavam sob análise cuidadosa da nova equipe econômica.

A aposta da diplomacia brasileira é de que as relações avancem neste primeiro momento nos aspectos comerciais e que eles sejam o motor de um amadurecimento da relação pessoal entre os dois presidentes, Javier Milei e Luiz Inácio Lula da Silva.

Não há, neste sentido, uma preocupação grande para que um encontro ou telefonema entre ambos ocorra no curto prazo. A leitura é de que isso não é essencial neste momento. O foco inicial é manter e aprofundar as relações comerciais.

Diplomatas brasileiros têm elogiado Diana Mondino e avaliado que ela se cercou de diplomatas de carreira no seu ministério, o que foi considerado um sinal importante.

Os gestos diretos de Milei ao chanceler Mauro Vieira também foram considerados muito promissores. Ambos conversaram por cerca de dez minutos durante a posse no domingo, momento em que Milei teria dito a Vieira que pretende trabalhar com “os irmãos brasileiros”. Vieira disse que já havia sido embaixador em Buenos Aires, ao que Milei disse que a Argentina “sempre será sua casa”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Governo da Argentina sinaliza a Brasil interesse em fechar acordo Mercosul-União Europeia

Integrantes do governo Milei disseram a diplomatas brasileiros haver interesse da nova gestão da Casa Rosada em fechar o acordo entre o Mercosul e a UE (União Europeia).

Os novos negociadores argentinos do acordo já entraram em contato com os brasileiros e passaram esse interesse, segundo fontes da diplomacia brasileira. Afirmaram ainda que algumas restrições impostas pelo governo anterior de Alberto Fernández não se justificam.

Sobre o Mercosul propriamente dito, a ideia passada foi da necessidade de aprimoramento e ampliação de efetividade, inclusive, com a defesa de mais acordos externos para o bloco.

Outros sinais sobre os rumos da relação foram dados com mais ênfase em um encontro nesta segunda-feira (11) no Palácio San Martin, que funciona como um cerimonial do Ministério das Relações Exteriores argentino.

Ali se encontraram diplomatas e empresários brasileiros e argentinos com a presença da nova chanceler do país vizinho, Diana Mondino. Neste encontro foram apresentadas demandas e dúvidas dos dois lados e segundo os presentes foram dados dois recados sobre temas específicos do comércio entre os países.

Mondino disse que o interesse do novo governo era acabar com restrições a remessas de recursos entre os dois países e também a importação de insumos. Mas pediu, ainda segundo relatos, paciência para o fim dessas restrições e que elas estavam sob análise cuidadosa da nova equipe econômica.

A aposta da diplomacia brasileira é de que as relações avancem neste primeiro momento nos aspectos comerciais e que eles sejam o motor de um amadurecimento da relação pessoal entre os dois presidentes, Javier Milei e Luiz Inácio Lula da Silva.

Não há, neste sentido, uma preocupação grande para que um encontro ou telefonema entre ambos ocorra no curto prazo. A leitura é de que isso não é essencial neste momento. O foco inicial é manter e aprofundar as relações comerciais.

Diplomatas brasileiros têm elogiado Diana Mondino e avaliado que ela se cercou de diplomatas de carreira no seu ministério, o que foi considerado um sinal importante.

Os gestos diretos de Milei ao chanceler Mauro Vieira também foram considerados muito promissores. Ambos conversaram por cerca de dez minutos durante a posse no domingo, momento em que Milei teria dito a Vieira que pretende trabalhar com “os irmãos brasileiros”. Vieira disse que já havia sido embaixador em Buenos Aires, ao que Milei disse que a Argentina “sempre será sua casa”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Lula diz que convidará todos os governadores para ato em Brasília que marcará um ano do 8 de janeiro
Exportações da indústria sofrem forte queda no Rio Grande do Sul
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play