Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Governo de São Paulo afasta militar alvo de operação da Polícia Federal que investiga Bolsonaro e aliados

Após ser alvo de operação da Polícia Federal (PF) que investiga o ex-presidente Jair Bolsonaro e seus aliados, o governo de São Paulo afastou o major da reserva Ângelo Martins Denicoli do cargo que ocupava na Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp).

Em nota, a Prodesp confirmou o afastamento do funcionário e informou que “adota regime de teletrabalho para os colaboradores que atuam na área de tecnologia da informação”.

Na decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que autorizou a operação Tempus Veritatis, Denicoli é citado como integrante do “Núcleo de Desinformação e Ataques ao Sistema Eleitoral” da organização, investigada por ter atuado em uma tentativa de golpe de Estado para manter Bolsonaro no Poder.

De acordo com a investigação, o núcleo agia na “produção, divulgação e amplificação de notícias falsas quanto a lisura das eleições presidenciais de 2022 com a finalidade de estimular seguidores a permanecerem na frente de quarteis e instalações, das Forças Armadas, no intuito de criar o ambiente propício para o Golpe de Estado”.

As medidas cautelares decretadas contra Denicoli incluíram busca e apreensão, proibição de manter contato com demais investigados, inclusive através de advogados, e proibição de deixar o país, com apreensão de seu passaporte.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Duas pessoas morrem após avião cair em rodovia e colidir com veículo nos Estados Unidos
Ataque de drone russo mata 7 pessoas na Ucrânia, incluindo 3 crianças
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play