Terça-feira, 18 de junho de 2024

Governo testa novo alerta de desastres que dispara som no celular

O novo Sistema de Alerta de Desastres para celulares vai enviar a usuários de regiões de risco mensagens que vão se sobrepor ao conteúdo que o usuário estiver visualizando e exigirá um comando para serem retiradas da tela. As informações são do superintendente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Gustavo Santana Borges.

A expectativa é de que o sistema seja implementado até dezembro nos estados do Sul e do Sudeste do País.

“Temos um alerta de emergência feito por SMS. Boa parte da população já usa, mas tem limitações: requer cadastro, mas chega e se confunde com outras mensagens, muitas vezes o cidadão não enxerga aquele alerta. Por isso, a agência determinou para as operadoras Claro, Tim e Vivo, uma evolução para solução de Cell Broadcast, que não requer o cadastro”, diz Borges.

“A Defesa Civil vai identificar uma região de risco e vai registrar essa campanha de uma mensagem, e o sistema vai entender quais antenas têm naquela região e disparar para todos os cidadãos simultaneamente que tenham cobertura 4g ou 5g e estejam ali naquela região. É uma solução que reage melhor para situações de emergência. Além disso, o conteúdo se sobrepõe ao que você estiver assistindo no celular. Então não se confunde, não entra em uma caixa de mensagem de SMS”, esclarece o superintendente.

Gustavo explica que será necessário o usuário interagir com o conteúdo. Assim, vai tomar conhecimento do alerta para poder voltar ao uso do aparelho. A ferramenta também já teve implementação por outras operadoras.

“[A mensagem se] sobrepõe, por exemplo, a um vídeo que você esteja assistindo, ou uma rede social. Ela assume como principal conteúdo do celular e exige que você faça um X para que saia do seu terminal. Ela é bem mais desenvolvida para situações de alerta e emergência.”

Há a expectativa de que pelo menos as regiões Sul e Sudeste sejam capacitadas para ter o uso da ferramenta já em dezembro.

“O Cenad (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres) tem um planejamento para que as defesas civis estaduais e municipais sejam treinadas até o próximo verão com prioridade para as regiões Sul e Sudeste, porque são aquelas que têm maiores incidências de enxurradas e deslizamentos, mas não descartado que sejam contemplados outros estados. Depende da capacidade de treinamento dos agentes da Defesa Civil”, comenta Borges.

“O Cell Broadcast é [apenas] uma das ferramentas de alerta, a Defesa Civil continua com suas outras ferramentas e canais de alerta, sirenes nos municípios, têm também avisos por redes sociais. (…) E as operadoras têm planos de contingência para situações de emergência, por exemplo, na crise do Rio Grande do Sul, quando uma operadora sai do ar, a outra assume a cobertura e os clientes da operadora que saiu, mitigando os efeitos de uma situação dessa”, conclui.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Restituição do Imposto de Renda: prioridade para contribuintes do RS devido ao estado de calamidade
Empresários se reuniram com Paulo Pimenta e entregaram propostas de medidas fiscais incluídas no programa Resgate-RS
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play