Sexta-feira, 19 de julho de 2024

Guerra completa 10 meses, e Zelensky acusa Rússia de “ato de terror” no Natal

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, denunciou no sábado (24) um “ato de terror” russo para “intimidar” o país, após um bombardeio em pleno centro de Kherson, no sul do país. Dez pessoas morreram e vários feridos na véspera do Natal, no dia em que a guerra na Ucrânia completou dez meses.

“Durante a manhã de sábado, véspera de Natal, no centro da cidade. Não são instalações militares. Não é uma guerra que segue as regras definidas. É terror, é matar para intimidar e (ter) prazer”, criticou o presidente ucraniano nas redes sociais.

“O mundo deve observar e compreender contra que mal absoluto estamos lutando”, afirmou Zelensky, que mais uma vez chamou o Exército russo de “terrorista”. “Esta é a verdadeira vida da Ucrânia e dos ucranianos desde que a guerra começou, há dez meses”, acrescentou.

Em Ancara, o ministro da Defesa da Turquia, Halusi Akar, cujo país atua como mediador no conflito, disse que “esta guerra não parece que vai terminar facilmente”.

Mortes

Em Kherson, uma equipe da agência de notícias AFP viu muitos corpos no chão.

“Os serviços de resgate tentaram salvá-lo, mas ele não estava mais respirando”, disse uma mulher que viu o marido, Oleksii, morrer no bombardeio. Ao lado do corpo, com o olhar vazio, ela apertava as mãos ensanguentadas do marido.

Leonid Tataryn, morador da cidade, de 38 anos, relatou um “bombardeio contra uma loja e depois contra o mercado central e as imediações. Oleksander Kudriashov, 43 anos, lamentava a morte de “Liosha”, um homem que “trabalhava aqui há 20 anos ou mais”, vendendo carne. Quando o ataque aconteceu, Liosha “havia saído para fumar um cigarro”, conta Oleksander. “Quando pegamos o corpo, ele já estava morto”.

Perto do mercado de Kherson, um repórter da AFP observou um homem gravemente ferido na cabeça. O carro dele foi destruído na explosão. O corpo de uma idosa, com um casaco vermelho, estava a poucos metros do local.

O mercado estava em chamas. O local, muito movimentado na manhã de sábado, fica no centro de Kherson, cidade que o exército ucraniano recuperou em novembro, durante uma prolongada contraofensiva, após oito meses de ocupação russa. Desde então, a cidade é alvo de bombardeios russos, em particular contra as instalações do sistema de energia.

“Enquanto as famílias da Europa, da América do Norte e de outras regiões preparam as ceias para a celebração, por favor pensem na Ucrânia, que está combatendo o mal neste momentos”, tuitou o ministro ucraniano das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba.

Na região leste, os russos prosseguem com os bombardeios contra Bakhmut – cidade que as tropas de Moscou tentam controlar há vários meses.

Ajuda

Para enfrentar a ofensiva russa, Kiev pediu mais ajuda financeira e militar aos ocidentais. Na sexta-feira (23), dois dias após a visita de Zelensky a Washington, o Congresso dos Estados Unidos aprovou uma extensão orçamentária que prevê uma verba de 45 bilhões de dólares (cerca de R$ 232 bilhões) para a Ucrânia.

Até 2023, Kiev também poderá contar com 2,5 bilhões de euros (cerca de 13,7 bilhões) em ajuda da Holanda, principalmente para suas Forças Armadas, anunciou na sexta-feira o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte.

A invasão russa também afeta consideravelmente a economia ucraniana, atualmente concentrada nos esforços bélicos. A colheita de cereais no país, um dos principais produtores mundiais de grãos do mundo, deve cair quase 40% este ano na comparação com 2021, segundo uma estimativa de profissionais do setor.

Condenações

O MP de Kieve anunciou que “dois mercenários e dois soldados russos” acusados de “torturar” três soldados ucranianos na região de Izum foram condenados a 11 anos de prisão na Ucrânia. Os soldados ucranianos “foram sequestrados e mantidos em um local sem água ou comida”, afirmou o Ministério Público em um comunicado. “Os ocupantes agrediram um (dos soldados) com um martelo”, acrescenta a nota. “Os quatro homens admitiram a culpa e pediram desculpas”, segundo o texto do MP.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Ciclone bomba causa frio de até 56°C negativos, cancelamento de 5.700 voos e mortes nos Estados Unidos e Canadá
Em 60 dias, ligações de celular para a central telefônica do INSS passam a ser gratuitas
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play