Domingo, 25 de fevereiro de 2024

Horário da última refeição do dia pode aumentar o risco de câncer; entenda

De acordo com um estudo realizado pelo Instituto de Saúde Global de Barcelona, o horário da última refeição pode alterar os riscos de uma pessoa desenvolver câncer de próstata ou de mama. As descobertas revelaram que comer antes das 21h ou ter ao menos um intervalo de duas horas entre o jantar e a hora de dormir pode contribuir para reduzir o risco desses dois tipos de câncer em 20%.

Para chegar nessa conclusão, a pesquisa analisou o comportamento alimentar e de sono de 621 homens diagnosticados com câncer de próstata e 1205 mulheres com câncer de mama. Sendo que excluídos casos de pessoas que fazem trabalho noturno, pois segundo outras análises, já estão ligadas ao maior risco de desenvolver uma das doenças.

Depois, com o ajuste feito considerando todos os fatores que influenciam o risco de câncer, os resultados demostraram que as pessoas que jantavam antes das 21 horas ou pelo menos duas horas antes de dormir tinham um risco 26 vezes menor de desenvolver câncer de próstata e também um risco 16% menor para o câncer de mama, ao ser comparado com quem comia depois das 22h ou dormia logo após a refeição.

O médico Manolis Kogevinas, que liderou o estudo, disse que os resultados destacaram a importância dos ritmos circadianos (mudanças regulares dos estados mentais e físicos ao longo de um período de um dia completo) em estudos sobre dieta e câncer. Segundo o autor, caso sejam confirmados, os resultados podem ter implicações nas recomendações sobre prevenção de câncer.

“O impacto pode ser especialmente importante em culturas como as do sul da Europa, onde as pessoas jantam tarde”, observou Kogevinas.

Estudos anteriores já apontavam para a importância de se adequar a padrões alimentares diários e prolongar o tempo entre a última refeição e o sono. Em outros estudos epidemiológicos, a interrupção do ritmo circadiano já havia sido considerada fator de risco para câncer de próstata, mama, colo, fígado, pâncreas, ovário e pulmão.

Segundo a revista científica “Nature”, as interrupções nesse ritmo “causadas por fatores de risco ambientais, genéticos e patológicos promovem o início e a progressão do câncer”. Em pesquisas anteriores, os cientistas conseguiram identificar diversos mecanismos que apontam o efeito da dieta no ritmo circadiano.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Emagrecer e ganhar músculos: como aliar dieta low carb com treino forte
Cinco destinos de inverno mais desejados no Brasil
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play