Domingo, 25 de fevereiro de 2024

Irã tem novo míssil hipersônico; saiba o que isso significa para o Oriente Médio

Não é todo dia que são vistos outdoors em hebraico nas ruas de Teerã. Publicado na capital iraniana esta semana, diz: “400 segundos para Tel Aviv” em persa, árabe e hebraico. É um anúncio do mais recente míssil no arsenal de armas em rápida expansão do Irã – os militares do país dizem que pode viajar até 15 vezes a velocidade do som.

O míssil é chamado de Fattah, aparentemente em homenagem a um dos 99 nomes de Deus no Islã, que significa “doador da vitória”. Foi revelado esta semana como uma conquista histórica para os militares iranianos.

O projétil hipersônico tem a capacidade de “penetrar todos os sistemas de mísseis de defesa aérea e detoná-los”, disse o comandante da IRCG (Força Aeroespacial do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã), general de brigada Amir Ali Hajizadeh, em comentários publicados pela agência de notícias semioficial Tasnim.

O IRGC diz que pode se mover dentro e acima da atmosfera terrestre e tem um alcance de 1.400 quilômetros – distância que inclui Israel. Mísseis hipersônicos são aqueles que podem viajar a uma velocidade superior a Mach 5, ou cinco vezes a velocidade do som.

O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, foi rápido em descartar a ameaça potencial representada por seu país.

“Ouço nossos inimigos se gabando das armas que estão desenvolvendo”, disse ele em comentários publicados na mídia israelense. “Para qualquer desenvolvimento desse tipo, temos uma resposta ainda melhor – seja em terra, no ar ou na arena marítima, incluindo meios defensivos e ofensivos.”

As alegações do Irã não foram verificadas de forma independente, mas especialistas dizem que seguem um progresso tangível no desenvolvimento de mísseis.

Uzi Rubin, fundador e ex-diretor da Organização de Defesa de Mísseis de Israel no ministério da defesa do país, não tem motivos para acreditar que o míssil não seja real e funcional. “O conceito é realista, elegante e viável”, falou.

Mas ele observou que não é necessariamente uma grande “revolução” nas capacidades de mísseis de Teerã, acrescentando que não é o primeiro míssil hipersônico que o Irã projetou, embora seja um “projeto revolucionário”. Especialistas apontam que a maioria dos mísseis balísticos pode viajar em velocidades hipersônicas.

Alex Vatanka, diretor do Programa do Irã no Instituto do Oriente Médio em Washington, DC, disse que o país tem “uma longa história de fazer reivindicações exageradas” quando se trata de desenvolver mísseis.

“Dito isso, o Irã fez grandes avanços neste setor e ninguém pode negar. Chegou à lista A entre os países que podem produzir mísseis hipersônicos? Esse não é o caso.”

Os Estados Unidos dizem que o Irã tem a maior força de mísseis balísticos do Oriente Médio e considera seu arsenal uma de suas “ferramentas primárias de coerção e projeção de força”.

No passado, os iranianos insistiram que seu programa de mísseis é apenas para fins defensivos. O jornal Kayhan, cujo editor é nomeado pelo líder supremo do Irã, disse em um editorial esta semana que o objetivo do míssil Fattah também é “mostrar sua dissuasão nas áreas econômica e política”. Sob pesadas sanções americanas, o país regularmente acusa os Estados Unidos de travar uma guerra econômica contra ele.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Lula deve receber líder da Comissão Europeia para tratar de acordo com o Mercosul
Plano Safra estima R$ 2,5 bilhões para subsídio de seguros no campo no Brasil
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play