Terça-feira, 23 de julho de 2024

Jodie Foster fala sobre ser motivo de atentado contra presidente dos EUA em 1981

A atriz Jodie Foster relatou que não se apresenta em uma peça de teatro há mais de 40 anos devido a uma experiência traumática que ocorreu enquanto ela estava envolvida em uma produção universitária.

A estrela de “O Silêncio dos Inocentes” e “Taxi Driver” revelou ter se afastado dos palcos após John Hinckley Jr. tentar assassinar o então presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, apenas para impressioná-la. Posteriormente, Hinckley foi inocentado em virtude de seus problemas psiquiátricos e internado em um hospital, porém, o incidente fez o mundo de Jodie,  que tinha apenas 18 anos na ocasião, “desmoronar”.

Em entrevista à revista Interview com a também atriz Jodie Comer, de “Killing Eve”, Foster relembrou o período conturbado durante sua passagem pela Universidade de Yale.

“Finalmente consigo admitir que a única peça de teatro que fiz na faculdade foi marcada por um grande trauma. A produção estava agendada para dois finais de semana. Fiz o primeiro, mas entre um fim de semana e outro, John Hinckley atirou no presidente. Foi um momento epopeico”, disse Foster.

Explicando o ocorrido a Jodie Comer, que não era nascida na época do atentado, em 1981, a atriz desabafou: “Aconteceu há bastante tempo. Você provavelmente nem sequer sabe, mas ele atirou [em Reagan] com o intuito de me impressionar. Ele havia escrito cartas para mim, então foi uma situação monumental”.

“O mundo desmoronou, havia agentes do Serviço Secreto por toda parte, eu tinha seguranças e fui levada para uma casa isolada. Mesmo assim, tive a ideia estúpida de que ‘o show tem que continuar’. Pensei: ‘Tenho que fazer a segunda apresentação’. Eu tinha acabado de completar 18 anos”, continuou.

Em seu retorno, Jodie direcionou sua atenção a um membro específico da plateia, porém, posteriormente, descobriu que o homem estava portando uma arma de fogo.

“Havia pessoas e câmeras por todos os lados. Notei um homem na primeira fila, que estava lá pela segunda noite consecutiva, e decidi passar a peça inteira gritando ‘f***-se, filho da p***!’ para ele. Apenas decidi que ele faria parte da peça. No dia seguinte, descobrimos que esse homem tinha uma arma e a havia levado para a performance, e depois fugiu. Então, eu estava em uma aula quando um segurança chegou e me jogou no chão, o que foi extremamente constrangedor, já que havia apenas 10 pessoas na sala”, relembrou Foster.

Ela disse acreditar que a fase desafiadora influenciou sua relação com a performance teatral.

“Foi um momento traumático, e nunca admiti que isso poderia ter influenciado minha decisão de nunca mais fazer teatro. Está tudo interligado. Consegui me convencer a amar e assistir a peças, mas, de uma certa forma, sempre senti que não poderia me comprometer a atuar [no teatro] novamente”, disse.

Entretanto, a veterana não descarta um retorno aos palcos. “Posso me tornar a primeira pessoa de 80 anos a subir ao palco com um andador”, brincou a atriz.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cinema

Paul McCartney vai a show de Taylor Swift em Londres, na Inglaterra
Anitta mostra perrengue fashion durante semana de alta-costura
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play