Domingo, 21 de julho de 2024

Lula descarta fazer reforma ministerial no curto prazo: “Estou satisfeito com meus ministros”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou fazer uma reforma ministerial no momento. O chefe do Executivo salientou estar “satisfeito” com o trabalho dos chefes das pastas ministeriais, mas afirmou que, quando avaliar a necessidade, poderá fazer as mudanças.

“Não vejo nenhuma necessidade de fazer reforma ministerial. Estou satisfeito com meus ministros”, declarou o presidente em entrevista à Rádio Meio, do Piauí, nesta sexta-feira (21).

“Com a experiência que eu tenho, não preciso fazer reforma. A hora que precisar, vou mudar as pessoas”, acrescentou.

O petista fez uma avaliação geral de seu governo e classificou a composição como “muito boa”. Ele deu destaque à ajuda que recebe de ministros que já foram governadores de Estados. “Todos muito competentes”, pontuou.

“O presidente da República tem poder de tirar e pôr [ministros] a hora que ele quiser. Mas acho que as coisas estão indo bem”, comentou.

A avaliação nos bastidores do Palácio do Planalto é que o governo deve esperar o resultado das eleições municipais para fazer uma reforma ministerial. As mudanças na Esplanada, ainda, são planejadas a posteriori para coincidir também com as eleições para as presidências da Câmara e do Senado.

Campos Neto

Também nesta sexta, Lula voltou a criticar o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, o classificando como adversário político e ideológico.

“A desvalorização do real não preocupa o governo, pois quando você é governo e tem um problema preocupante, você tenta mudar esse problema”, disse o presidente à rádio Mirante News, em São Luís (MA).

“Já fui eleito presidente há 1 ano e 7 meses. O presidente do BC é um adversário político, ideológico e do modelo de governança que fazemos”, disse Lula.

Lula ainda afirmou que, com a saída de Campos Neto do BC em dezembro, as coisas, “vão voltar ao normal”

“Ele foi indicado pelo governo anterior e faz questão de dar demonstração de que ele não está preocupado com nossa governança, e sim com o que ele se comprometeu. Estamos chegando no momento de tirar ele e indicar outra pessoa. Eu acho que as coisas vão voltar à normalidade”, afirmou o presidente.

Na última terça-feira (18), Lula acusou Campos Neto de trabalhar para prejudicar o País, argumentando que o comportamento da autarquia é a única “coisa desajustada” no Brasil no momento.

“É o comportamento do Banco Central. Essa é uma coisa desajustada. Um presidente do BC que não demonstra nenhuma capacidade de autonomia, que tem lado político, e que, na minha opinião, trabalha muito mais para prejudicar o país do que para ajudar o país. Não tem explicação a taxa de juros do jeito que está”, disse o presidente.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Trensurb reduz intervalo entre viagens a partir de segunda-feira
Países com voto impresso já elegeram presidentes de esquerda, ao contrário do que sugere post
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play