Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Lula estende recesso de fim de ano no Rio de Janeiro e adia volta para Brasília

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva optou por estender o recesso de fim de ano no Rio de Janeiro. Previsto para ocorrer nesta quarta-feira (3), o seu retorno a Brasília foi adiado. A assessoria da Presidência informou que Lula não teve agenda pública nesta quarta, e que ainda não há informações sobre a volta do petista à capital federal. Acompanhado da primeira-dama Rosângela Lula da Silva, a Janja, Lula passou o réveillon na praia privativa de Restinga de Marambaia, no litoral fluminense.

No Instagram, o presidente publicou uma foto, tirada por Janja, em que aparece de braços abertos no mar. “Reencontro com o mar para começar 2024 com muita energia para rodar o Brasil”, escreveu o petista.

Ao retornar ao Palácio do Planalto, Lula terá que manejar negociações duras com o Congresso e retomar diálogos sobre mudanças a serem feitas no primeiro escalão do governo, sobretudo no Ministério da Justiça e Segurança Pública, que ficará vago com a ida do atual titular da pasta, Flávio Dino, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A substituição do ministro da Justiça é um dos temas de definição imediata com os quais Lula vai precisar lidar. Ele só tomará posse como ministro do Supremo no dia 22 de fevereiro, mas Lula afirmou no fim do ano passado que ele permanecerá no governo até os primeiros dias deste ano para participar da cerimônia de um ano dos ataques antidemocráticos às sedes dos Três Poderes em 8 de janeiro do ano passado, em Brasília.

O petista pretende reunir os chefes da Câmara dos Deputados, do Senado e do Supremo e um bom número de governadores para simbolizar o triunfo das instituições democráticas. Porém, governadores de oposição, aliados ao ex-presidente Jair Bolsonaro devem desfalcar o evento sob alegações de férias, viagens a trabalho e até “falta de convite”.

Na última semana, em reunião ministerial, Lula afirmou estarão presentes os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Supremo, Luís Roberto Barroso. Ele também pediu a presença de ministros do governo.

Há ainda a expectativa de que a Esplanada dos Ministérios passe por mudanças neste ano para corrigir as rotas do governo. Interlocutores do presidente, no entanto, afirmam que uma reforma mais ampla, com mudanças em várias pastas, não deve ocorrer já no início do ano. A principal troca dever ser feita apenas no Ministério da Justiça.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Pix no Brasil movimenta mais de R$ 15 trilhões, e disputa com cartão de crédito deve se acirrar em 2024
Bolão do PT na Câmara ganha prêmio na Mega da Virada
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play