Domingo, 07 de agosto de 2022

Lula tem 41,8% e Bolsonaro 33,1% na média semanal

Após os últimos seis levantamentos realizadas na última semana, o petista Lula lidera as intenções de voto com 41,8% contra 33,1% de Jair Bolsonaro (PL), segundo a média ponderada do estudo realizado pela Potencial Inteligência para o Diário do Poder, com levantamentos de 25 institutos de pesquisas nos Estados. Lula avançou 1,1 ponto percentual, enquanto Bolsonaro perdeu 0,1 p.p, em relação à média de 24 de junho.

Ciro vs. indecisos
O pré-candidato do PDT Ciro Gomes superou o grupo de “indecisos” e aparece com 7,1% na chamada Análise Potencial de Intenção de Voto.

Fim da fila
A pré-candidata do MDB Simone Tebet tem 2,1% e os demais candidatos somados representam 4,3%.

Levantamentos estaduais
Foram realizadas pesquisas presidenciais em São Paulo, Minas, Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Piauí, na última semana.

Base larga
A análise da Potencial considerou um total de mais de 37 mil entrevistas realizadas pelos institutos, em cerca de mil municípios, em 2022.

Nem o próprio partido bota fé em Reguffe, no DF
Apesar de haver anunciado sua pré-candidatura ao governo do Distrito Federal, em prolixo vídeo de 8 minutos, o senador Antônio Reguffe reforçou o clima de desconfiança no próprio partido, União Brasil, tantas foram as condições que ele impôs para encarar o desafio. Dirigentes nacionais e locais do partido, que o têm na conta de político que muda de ideia facilmente, logo desconfiaram da firmeza da sua candidatura.

União na desconfiança
Um dirigente do União Brasil no DF não esconde suas restrições a Reguffe, cuja candidatura acha que não dá para levar “a ferro e fogo”.

Esperava-se mais
Reguffe é raro político sem mácula, mas recebe críticas pela atuação parlamentar limitada a economizar despesas do seu gabinete.

Fogo de monturo
Há também grande queixa de candidatos a deputado do União Brasil que se queixam de serem preteridos por postulantes ligados a Reguffe.

Brasil relevante
É importante a posse do Brasil na presidência do conselho de segurança da ONU, reafirmando a relevância do País após um golaço, em janeiro: depois de dez anos de fora, foi eleito por 181 dos 193 votos dos países.

Bye, bye, carreira
O Novo decidiu sacrificar e interromper a carreira de um bom deputado federal, Tiago Mitraud (MG) escalando-o para fazer figuração em uma chapa sem chances: será o vice do empresário Luis Felipe D’Ávila (SP).

Holofote vicia
Depois do anúncio de que o TCU agora vai investigar assédio sexual, a deputada Janaina Paschoal lembrou o óbvio: que isso é crime e deve ser apurado nas instâncias adequadas. “Essa moda de investigar tudo em todo canto só faz gastar recursos públicos indevidamente”, disse.

Haja esperança
A pré-candidata do MDB a presidente, Simone Tebet, 1% nas pesquisas, chamou de “caminhada da esperança” sua ida a Salvador, no 2 de Julho. Se for esperança de votos, nem o Senhor do Bomfim poderia ajudar.

Fil rouge
Esta semana, ações subterrâneas de campanha parecem ter “tirado as luvas”. Primeiro, denúncias sucessivas contra apoiadores de primeira linha de Bolsonaro, Nelson Piquet e Pedro Guimarães, depois um tiro de canhão direto no PT de Lula, com a denúncia da relação com o PCC.

Engana que eu gosto?
O petista Lula afirmou em entrevista, nesta sexta (1º), que não pensa em disputar a reeleição, em 2026, caso vença este ano, falou até em entregar o mandato “para outra pessoa” em 31 de dezembro de 2026.

Mais diferenças
Em Maceió (AL), a maior parte dos postos de combustíveis está vendendo o litro do etanol a R$5,49 e da gasolina por volta dos R$6,70 a vista e até R$6 e R$7,25 a prazo, respectivamente.

Transparência opaca
As nossas reservas internacionais chegaram ao recorde de US$ 390,5 bilhões em junho de 2019, mas caíram 11,2% a US$ 346,8 bilhões em abril, último dado atualizado pelos grevistas caviar do Banco Central.

Pensando bem…
…a queda dos combustíveis já foi sentida no bolso dos brasileiros, mas não nas pesquisas.

PODER SEM PUDOR
A ‘ideologia’ petista
Como em todo governo, a administração do ex-presidente Lula arquivou o esquerdismo do PT para fechar acordos partidários fundamentados na troca de favores, no mensalão desavergonhado e no fisiologismo. Era a briga pela “ocupação de espaços”, ou seja, nomeação de apadrinhados para os cargos do governo. Tudo isso lembrava o velho PSD e a frase genial do pessedista Tancredo Neves sobre a vocação fisiológica do seu partido: “Entre Karl Marx e a Bíblia, o PSD fica com o Diário Oficial.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Nome de Lula aparece outra vez vinculado ao PCC
STF ainda ignora perdão a Silveira, 73 dias depois
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play