Terça-feira, 25 de junho de 2024

Mais de quatro anos após incêndio e uma restauração bilionária, Notre Dame deve reabrir em 2024

A torre da Catedral de Notre Dame, coroada por um novo galo dourado, recuperou o lugar no horizonte de Paris, na França, na semana passada. Enquanto turistas e parisienses se reuniam em frente à catedral, tombada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO, na sigla em inglês), para admirar o regresso de uma das características mais emblemáticas. Por enquanto, ainda envolta em andaimes.

Quase 500 artesãos estão ocupados com os esforços de reconstrução, trabalhando para garantir que o marco parisiense esteja pronto para a grande reabertura ao público em 2024.

“É fascinante ver como algo de tanto valor histórico está sendo restaurado”, disse Stephan Book, um turista vindo da Suécia que visita Paris com sua filha e seu pai de 80 anos. “E a ambição de fazer tudo em cinco anos”, acrescentou, “é como quando Kennedy disse que (os humanos) iriam para a lua”.

Numa recente visita ao canteiro de obras, o presidente Emmanuel Macron afirmou que as obras estavam “dentro do cronograma” para que Notre Dame fosse aberta ao público em 8 de dezembro de 2024, cinco anos e sete meses após o incêndio que destruiu grande parte do edifício de 860 anos em abril de 2019.

“Quando chegarem os Jogos Olímpicos (em julho), esperamos ter desmontado a parte superior da torre e concluído a maior parte da cobertura, para que os parisienses e visitantes de todo o mundo possam ver o edifício. A catedral está prestes a reabrir”, disse Philippe Jost, da Rebuilding Notre Dame de Paris (o órgão público responsável pela conservação e restauração da catedral), ao parlamento francês em 13 de dezembro.

Aqueles que admiram a estrutura gótica do lado de fora já estão entusiasmados com a perspectiva de poder entrar novamente na catedral.

“A primeira vez que vim a Paris foi há 60 anos, depois há 40 anos”, disse o pai de Stephan, Göran Book, que se lembra de ter entrado na Notre Dame em todas as suas visitas anteriores a Paris. “Agora tenho 80 anos”, acrescentou. “Se ainda estiver vivo no próximo ano, terei que voltar para ver a reabertura.”

Um esforço monumental

De acordo com a Rebuilding Notre Dame, existem cerca de 250 empresas e oficinas de arte em toda a França encarregadas de “trabalhar no renascimento da catedral”. Isto inclui carpinteiros, pedreiros, escultores, vidraceiros e até construtores de órgãos, que estão restaurando os 8.000 tubos e 115 registros do grande órgão de Notre Dame, o maior da França.

Após o incêndio de 2019, os primeiros dois anos de trabalho foram dedicados à segurança do edifício e à conclusão dos estudos de projeto. A fase de restauração começou oficialmente em setembro de 2021.

Nos últimos meses, os avanços mais visíveis foram feitos na restauração da estrutura da cobertura, do pináculo e das grandes galerias superiores. Alban Dubois, que trabalha como garçom no Café Panis, do outro lado da rua de Notre Dame, observa o progresso diário das janelas do local de trabalho.

Ele estava lá servindo mesas no dia do incêndio, e se lembra de ter assistido em estado de choque enquanto as chamas aumentavam e as janelas do restaurante ficavam cada vez mais quentes. “As pessoas se reuniram (no restaurante) e olharam impotentes”, disse ele. “Algumas pessoas estavam chorando. Foi tudo muito triste”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Rei Charles III fala de ecologia e paz em mensagem natalina
Em almoço com repatriados, Lula defende estado palestino e diz que reféns precisam ser liberados
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play