Quarta-feira, 19 de junho de 2024

Max Verstappen vence o GP do México de Fórmula 1 e chega ao 16º triunfo na temporada

A ordem dos fatores pode até não ter afetado o produto. Mas a vitória de Max Verstappen no GP do México neste domingo (29), após largar da terceira colocação, dividiu o protagonismo com outras histórias: a recuperação de Lewis Hamilton, de sexto a segundo colocado; o sexto pódio da Ferrari com o terceiro lugar de Charles Leclerc e a batida do piloto da casa, Sergio Pérez, ainda na largada.

A corrida teve ainda o excelente desempenho de Daniel Ricciardo, de volta ao grid para sua segunda corrida desde que foi operado após fratura no metacarpo – sofrida nos treinos do GP da Holanda, em agosto. Ele largou em quarto lugar e chegou em sétimo. O australiano seria cotado para uma vaga na RBR caso Pérez não garanta o vice-campeonato de 2023.

Verstappen garantiu sua 16ª vitória de 2023 e a 51ª da carreira ainda na largada da prova, superando Carlos Sainz, segundo colocado, e o pole Leclerc, além de resguardar-se do contato do rival com Pérez. Por outro lado, a Ferrari perdeu a chance da dobradinha não só com o avanço de Verstappen mas com o salto de desempenho da Mercedes que, até então, apareceu com pouca força no fim de semana.

Largando da sexta colocação, Hamilton conquistou o sétimo pódio da Mercedes em 2023, seu sexto do ano e o 197º da carreira. Superou Sainz e, depois, Leclerc – este garantindo ao menos o último lugar no pódio, com mais ritmo que o colega ferrarista no decorrer da prova.

A largada

Verstappen se colocou entre o pole Leclerc e Sainz, originalmente segundo, e conseguiu sair na frente. Leclerc, porém, manteve-se perto do holandês até se ver cercado por ele e também Pérez, que saltou de quinto para terceiro.

Sem espaço, o piloto da Ferrari acabou tocando com sua roda dianteira esquerda na roda traseira direita do mexicano, cuja RBR chegou a ser erguida do chão antes de arrastar-se até a área de escape.

Leclerc manteve-se na corrida apesar de danos na asa dianteira. A direção de prova acionou o safety car virtual até a sexta volta, quando a bandeira verde reautorizou a disputa com Verstappen líder, Leclerc e Sainz completando o top 3.

Logo atrás da confusão, Ricciardo defendeu bem seu quarto lugar, mantendo-se à frente de Hamilton, que ganhou uma posição com a batida de Pérez. Quem também fez uma boa largada foi Nico Hulkenberg, de 12º a oitavo.

Mantendo a liderança

Verstappen já tinha 2s de vantagem sobre Leclerc após as dez primeiras voltas, diferença que aumentou em mais de 1s5 . No entanto, ele começou a se queixar da degradação de seus pneus e visitou os boxes na 20ª, trocando os médios pelos duros e retornando em sétimo.

O tricampeão ultrapassou Russell, Piastri e Ricciardo, subindo para terceiro quando Hamilton fez seu pit stop na volta 25. Depois, ainda passou Sainz e surgiu na cola de Leclerc, retomando a liderança com a troca de pneus do rival da Ferrari no 32º giro da prova.

Do sexto lugar ao pódio

Originalmente sexto no grid inicial, Hamilton ganhou uma posição após a batida de Pérez e subiu para quarto após ultrapassar Daniel Ricciardo, na volta 11. Nos giros seguintes, ele começou a reduzir a desvantagem para Sainz até meio segundo na 20ª volta – quando ambos subiram para segundo e terceiro devido ao pit stop de Verstappen.

Hamilton visitou os boxes na volta 25, também trocando os pneus médios pelos duros; ele subiu para quinto após o pit stop de George Russell e, com as paradas de Ricciardo e Sainz, assumiu o terceiro lugar. Então vice-líder, Leclerc também parou depois dele, mas a desvantagem de 24s manteve as posições inalteradas.

Batida interrompe prova por 20 minutos

Na volta 33, a corrida foi interrompida por uma batida forte de Magnussen na curva 9. Apesar do intenso impacto do choque no carro após passar reto no trecho, o dinamarquês conseguiu deixar o veículo sozinho e deixou a pista pela barreira de proteção.

Com o safety car na pista, Verstappen aproveitou para fazer um novo pit stop e colocar um novo conjunto de pneus duros. Posteriormente, a direção de prova acionaria a bandeira vermelha, que perdurou por 20 minutos – e permitiu ao restante do grid fazer novas trocas de pneus.

Definindo o pódio

A relargada foi com os carros parados a partir da volta 36, mas sem alterações no pelotão da frente: Verstappen disparou na ponta à frente de Leclerc, que tentou se defender da pressão de Hamilton. Sainz permaneceu em quarto lugar tendo Russell e Ricciardo atrás dele.

No 38º giro, Hamilton começou a pressionar Leclerc pela segunda colocação. Calçando pneus médios contra os pneus duros do monegasco – ambos recém-trocados durante a bandeira vermelha -, o piloto da Mercedes conseguiu passar o rival duas voltas depois e assumiu a vice-liderança.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

A tenista Bia Haddad supera Qinwen Zheng em jogo apertado e conquista o WTA Elite Trophy
Ex-presidente da Real Federação Espanhola de Futebol é banido do esporte por beijo forçado em jogadora na final da Copa
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play