Sábado, 13 de julho de 2024

Mortes em carro de luxo em Camboriú: o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso

Quatro pessoas morreram após serem encontradas desmaiadas dentro de uma BMW estacionada na rodoviária de Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, na manhã de segunda-feira (1º). As vítimas eram naturais de Minas Gerais.

A principal suspeita da Polícia Civil é de intoxicação por monóxido de carbono, um gás levemente inflamável, inodoro e altamente tóxico. As informações são do delegado Bruno Effori.

Veja o que se sabe e o que falta saber sobre o caso e entenda:

1) Quando e onde as vítimas foram encontradas?

As vítimas foram encontradas na manhã de segunda-feira (1º), dentro de uma BMW estacionada no Terminal Rodoviário de Balneário Camboriú.

2) Quem localizou o grupo?

A namorada de um dos jovens mortos chegou de Minas Gerais, de ônibus, para encontrar ele e os amigos na rodoviária para, juntos, irem até Florianópolis.

3) Como o grupo estava quando foi encontrado?

À polícia, a jovem informou que o grupo relatou tontura, náuseas e tremedeira ao chegar à rodoviária. Eles relataram que tinham comido um cachorro-quente na praia e relacionaram o mal-estar ao alimento. Por isso, ficaram no local buscando uma melhora para poder seguir viagem.

Quando o Samu foi acionado, no início da manhã, para atender as vítimas, elas já estavam desacordadas e em parada cardiorrespiratória, segundo os bombeiros, que deram apoio à ocorrência.

4) A mulher que localizou as vítimas passou mal?

Não. A mulher que chegou de viagem não apresentou nenhum sintoma, segundo o delegado responsável pelo caso. Ela prestou depoimento e relatou a situação aos policiais.

5) As vítimas foram levadas ao hospital?

Após 40 minutos de reanimação no local onde foram encontrados, e nenhuma resposta aos procedimentos realizados, a equipe médica do Samu decretou o óbito do grupo.

6) Houve algum pedido de socorro durante a madrugada?

Uma testemunha ouvida pela Polícia Civil afirmou que o adolescente de 16 anos, encontrado morto no carro, ligou para o Samu pedindo ajuda horas antes de ficar desacordado no local. A ligação teria ocorrido na madrugada.

A vítima teria sido orientada a procurar um hospital, segundo o depoimento. No entanto, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), responsável pelo serviço, negou que houve um pedido de ajuda na madrugada e destacou que a primeira solicitação ocorreu às 7h21.

7) Qual a principal suspeita da polícia?

A suspeita principal é de morte por intoxicação por monóxido de carbono, um gás levemente inflamável, inodoro e altamente tóxico.

Effori relatou que um rompimento encontrado no motor pode ter jogado o gás para dentro do carro. O grupo respirou o gás por cerca de 4h, segundo a investigação.

Ao delegado, familiares relataram uma customização no veículo. A polícia apura se há relação entre a modificação veicular e o vazamento. Exames da Polícia Científica devem confirmar as causas.

8) Quem eram as vítimas?

A Polícia Militar informou a identificação de três vítimas, maiores de idade. O nome do adolescente foi divulgado nas redes sociais, por familiares e amigos. As vítimas são: Gustavo Pereira Silveira Elias, de 24 anos; Karla Aparecida dos Santos, de 19; Nicolas Kovaleski, de 16 e Tiago de Lima Ribeiro, de 21.

9) De onde eles eram?

Eram de Paracatu, e Patos de Minas, Minas Gerais, mas moravam há um mês na Grande Florianópolis, com familiares.

10) De quem é o veículo?

De acordo com o delegado responsável pelo caso, o veículo era família das vítimas. Outros detalhes não foram confirmados.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Entre notas com acusações e repúdios, Confederação Israelita do Brasil e a deputada federal Gleisi Hoffmann trocam críticas com origem em decisão judicial envolvendo jornalista
Passageira do helicóptero que sumiu a caminho do litoral paulista enviou vídeo mostrando visibilidade ruim no voo
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play