Sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

Operação contra comércio ilegal no Centro de Porto Alegre tem dois homens detidos por depredação e ameaça

Durante a operação noturna denominada “Calçada Limpa”, dois homens que vendiam irregularmente hortifrutigranjeiros foram detidos pela Guarda Municipal de Porto Alegre em uma das esquinas da avenida Salgado Filho (Centro Histórico). Eles reagiram com ameaças e depredação a uma abordagem.

Após ter os produtos apreendidos, a dupla deixou o local dizendo que mataria os agentes e “incendiaria a cidade”. Minutos depois ateou fogo a um contêiner na avenida Borges de Medeiros, ataque que foi registrado por câmeras de segurança do sistema de monitoramento da prefeitura.

Os homens, de 30 e 40 anos, foram localizados na região, capturados e encaminhados à Polícia Judiciária, onde assinaram termo circunstanciado – enquanto isso, as chamas eram apagadas por uma equipe do Corpo de Bombeiros. Um deles possui antecedentes criminais por furto e roubo, mas acabou liberado após pagar fiança de R$ 1,5 mil.

“A cidade tem regras de convivência que devem ser respeitadas”, frisou o secretário-adjunto de Segurança da capital gaúcha, Comissário Zottis. “Não vamos tolerar a prática de crimes e outras ilegalidades. De forma preventiva, realizamos as abordagens, porém dois ambulantes ilegais terminaram presos por dano ao patrimônio e ameaça de morte.”

A ofensiva teve por objetivo coibir o comércio ilegal e impedir que esse tipo de atividade bloqueie o trânsito de pedestres em calçadas da região. Outras bancas de hortifrutigranjeiros foram desativadas e os produtos aprendidos tiveram como destino a doação pela rede de assistência social.

Além dos agentes de corporação, participaram fiscais municipais uma equipe volante da Polícia Civil, além do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), que providenciou a limpeza do local.

Cercamento eletrônico

Também nesta semana, a Secretaria Municipal de Segurança ampliou a integração com os órgãos de segurança ao compartilhar com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) o acesso aos dados do cercamento eletrônico de Porto Alegre. Com isso, os agentes do órgão estadual poderão acompanhar o monitoramento das 365 câmeras que integram a rede na cidade.

Diariamente, mais de 1,2 milhão de placas de carros são rastreadas pelos equipamentos de videomonitoramento. Os acessos ao sistema já são compartilhados com a Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. Posicionadas em pontos estratégicos da cidade, as câmeras garantem a vigilância nas entradas e saídas do município, assim como em vias internas.

Quando a leitura da placa veicular indica alguma irregularidade (registro de roubo, furto ou clonagem, por exemplo), um sinal de alerta é emitido para que as equipes policiais mais próximas possam atender a ocorrência. A rede de segurança foi desenvolvida pela Companhia de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa).

Desde a implementação do circuito, em maio de 2018, as ocorrências de roubo e furto de veículos na Capital caíram aproximadamente 70%, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-RS). Neste ano, ao menos 94 veículos foram recuperados pelas forças policiais com auxílio da ferramenta tecnológica.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Porto Alegre

Mais três linhas passam a circular sem cobrador em Porto Alegre a partir de segunda
Projeto para transformar Porto Alegre na Capital Mundial do Churrasco é lançado no Parque Harmonia
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play