Segunda-feira, 04 de julho de 2022

loader

Pfizer pede autorização para uso emergencial da sua vacina contra a covid em crianças de 5 a 11 anos nos Estados Unidos

A Pfizer e a BioNTech disseram nesta quinta-feira (7) que pediram ao Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, a autorização de uso emergencial de sua vacina contra a covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

“Com os novos casos em crianças nos EUA continuando em alto nível, este envio é um passo importante em nosso esforço contínuo contra a covid-19. Estamos empenhados em trabalhar com o FDA com o objetivo final de ajudar a proteger as crianças contra esta grave ameaça à saúde pública”, disse a Pfizer.

As empresas enviaram os dados iniciais para aprovação da vacina em crianças de 5 a 11 anos no dia 28 de setembro.

Também em setembro, Pfizer e BioNTech anunciaram que a vacina é segura e induz resposta imune em crianças de 5 a 11 anos. Os dados são preliminares e ainda precisam passar por avaliação de outros cientistas para serem publicados em revista científica. Até agora, a vacina da Pfizer pode ser aplicada em pessoas a partir dos 12 anos.

No Brasil

O Brasil está aplicando a vacina da Pfizer em adolescentes a partir dos 12 anos. Em junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso do imunizante nessa faixa etária e, em setembro, após um vai e vem, o Ministério da Saúde voltou a liberar a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos, mesmo os sem comorbidades, contra a covid-19.

A Pfizer completou, na última terça (5), a entrega das 100 milhões de doses da vacina contra covid. O volume previsto no primeiro contrato com o governo federal foi atingido com atraso, após o voo com 1,1 milhão de imunizantes ser remanejado por “questões logísticas” no último domingo (3).

Pelo acordo assinado em março de 2021, a Pfizer deveria completar a entrega das 100 milhões de doses até o fim do terceiro trimestre (30 de setembro). No entanto, em comunicado na última semana, a empresa destacou que tratava o período até o domingo como mais uma semana logística e que isso “não representa atraso ou comprometimento na entrega da vacina”.

Há um segundo contrato entre Pfizer e governo federal, assinado em 14 de maio, que prevê mais 100 milhões de vacinas entre outubro e dezembro. O cronograma de entregas desse segundo contrato ainda será divulgado pela empresa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Nova geração russa critica pobreza, escândalos de corrupção e canaliza insatisfação com o regime do governo de Vladimir Putin
Mortes de gaúchos por coronavírus se aproximam de 35 mil. Idosa de 105 anos está entre as novas vítimas
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play