Domingo, 16 de junho de 2024

Polícia Federal mira grupo que envia cocaína à Europa por meio de navios

A Polícia Federal deflagrou uma ação contra uma organização criminosa suspeita de enviar cocaína pura à Europa, por meio de navios. No decorrer da investigação, agentes apreenderam cerca de uma tonelada e meia da droga. A ação, denominada Novos Rumos, tem como objetivo cumprir quatro mandados de prisão preventiva e seis de busca e apreensão. Até as 11h15 desta quarta-feira (24), dois alvos foram presos, um deles, um mergulhador envolvido no esquema.

O grupo, segundo a PF, é vinculado à maior facção criminosa do estado. O material entorpecente, antes de seguir viagem em embarcações, era armazenado em depósitos no interior de comunidades do Rio. Para acessar aos navios, os criminosos contavam com a ajuda de funcionários contratados do porto, que mostravam as rotas para os traficantes.

Além disso, a organização conta também com mergulhadores, que ficavam responsáveis por prender a droga nos cascos dos navios. Dois são alvos de mandados de prisão na ação desta quarta-feira e um deles foi preso ainda nesta manhã.

No balanço parcial divulgado pela Polícia Federal, além de duas prisões, foram cumpridos os seis mandados de busca, o que resultou em apreensão de carro, telefones celulares, computadores e documentos.

O nome da ação se deve ao fato da principal facção criminosa do Rio de Janeiro apresentar uma nova frente de atuação no tráfico de entorpecentes, abrangendo também o tráfico internacional de drogas.

Bando do Peixão

A quadrilha do traficante Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, transformou uma obra inacabada de uma igreja em uma casamata (construção de concreto com pequenos espaços conhecidos como seteiras para apoiar canos de fuzis) para se abrigar de tiros e fazer disparos contra policiais. A obra ocupada clandestinamente pelo tráfico fica numa espécie de galpão, localizado na Favela de Parada de Lucas, no Rio, e foi descoberta durante operação deflagrada pela Polícia Civil. Na ocasião, 17 pessoas foram presas com um arsenal que inclui 15 fuzis, duas metralhadoras, milhares de balas de fuzil e 21 granadas.

A construção tem quase três andares e fica num local estratégico, de onde é possível visualizar a Avenida Bulhões de Marcial, que dá acesso à comunidade. Do mesmo local é possível avistar ainda boa parte da favela e ainda a linha férrea do Ramal Saracuruna, explorada pela concessionária Supervia, que corta Parada de Lucas. Imagens de um vídeo, que circula em redes sociais, mostram diversos buracos nas paredes ( seteiras) do galpão. Segundo a polícia, foi dali que um grupo de bandidos fez disparos contra equipes da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC).

Um dos bandidos mais procurados do Rio, Peixão integra a cúpula de uma das facções criminosas que atuam no Estado do Rio de Janeiro. Ele é acusado de controlar o comércio de drogas nas Favelas Cidade Alta, Cinco Bocas, Pica-Pau, Parada de Lucas, Vigário Geral, na Zona Norte, e em algumas localidades de Nova Iguaçu e Duque de Caxias. Nove mandados de prisão foram expedidos pelo Tribunal de Justiça em nome de Peixão.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Governo do Brasil é contra a vacinação por gripe aviária
Diretor do Ministério da Educação defende que Enem avalie alunos pela formação básica
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play