Quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

loader

Polícia Federal recupera duas garrafas de vinho francês de 60 mil reais roubadas do Itamaraty

A Polícia Federal (PF) abriu uma operação para recuperar duas garrafas de vinho — cujos valores, somados, ultrapassam R$ 56 mil — que foram furtadas do Ministério das Relações Exteriores. A ofensiva, batizada Borgonha, cumpriu mandado de busca e apreensão na capital paulista no fim da semana passada.

De acordo com a PF, a investigação teve início no dia 16 de agosto, quando o Itamaraty constatou a ausência das garrafas de vinho, que são umas das mais caras do mundo, após realizar conferência das garrafas guardadas no cofre tipo adega do cerimonial.

As garrafas de vinho subtraídas eram um Petrus Pomerol Grand Cru da safra 1980, avaliado em R$ 25.750,00, e o vinho Domaine de la Romanee-Conti La Tache Grand Cru Monopole da safra de 1995, avaliado em R$ 31.868,00.

Após realizar algumas diligências iniciais, os policiais federais identificaram o autor do crime, que confessou o delito e indicou o comprador para quem repassou os dois vinhos.

O mandado de busca expedido pela Justiça Federal no âmbito das investigações foi cumprido pela PF no endereço do receptador, ocasião na qual os agentes conseguiram recuperar as garrafas.

De acordo com a corporação, o nome da operação faz menção à região da França de onde provêm os vinhos mais caros do mundo.

Qual é a origem do vinho?

O vinho teve sua origem há muitos anos, sendo consumido desde a antiguidade. A bebida teve o início de sua produção datada em meados de 6000 a.C. E, até hoje, é uma das bebidas mais conhecidas e consumidas do mundo todo.

Acredita-se que o surgimento desse líquido tão tradicional veio através de uma mulher persa, a qual estava a ponto de cometer suicídio por conta de desilusões com o rei local. Para completar sua decisão, ela resolveu tomar uma taça de suco de uva “estragada”, porém não surtiu efeito, muito pelo contrário.

A espera pela morte não teve sucesso, mas o seu humor melhorou muito, resultando no descobrimento de uma bebida surpreendente, que pudesse fazer a diferença na vida de todos os moradores.

Por que existem vinhos tão caros?

É estranho pensar que há indivíduos que pagam mais de R$ 150.000,00 em uma única garrafa, porém isso é mais comum do que pensamos. Os amantes dessa bebida não medem esforços para possuir um rótulo raro de uma safra realmente fantástica. Aliás, é exatamente isso que faz o preço ser tão elevado: a raridade do produto.

Existem colheitas que foram feitas em anos difíceis, os quais renderam muito pouca mercadoria, fazendo com que o preço desses artigos subisse drasticamente. Mas, perante a esses aspectos, devemos dizer que não são marcas encontradas em uma prateleira qualquer, normalmente esses tipos estão sob domínio de personalidades famosas ou até mesmo em leilões de luxo.

Desse modo, não é tão fácil localizar uma dessas estimadas garrafas. Entretanto, se você possui interesse em ter acesso, vale a pena conferir e buscar por esses encantadores e estimáveis títulos.

Top 5 dos mais caros

1) Domaine de la Romanée-Conti Romanée-Conti Grand Cru
Em 2018, na cidade de Nova Iorque, um homem arrematou, em um leilão, uma garrafa de Domaine de la Romanée-Conti Romanée-Conti Grand Cru por aproximadamente US$ 558.000,00. O rótulo diz respeito a uma safra francesa de 1945, a qual ficou famosa por enfrentar bastante dificuldades referentes a clima.

2) Domaine Leroy Musigny – Grand Cru
Novamente, Grand Cru entra na lista dos vinhos mais caros do mundo. São produzidas pouquíssimas garrafas durante o ano e, por isso, o valor é expansivo. Se você tiver um bom dinheiro para investir nessa garrafa, o valor médio chega em torno de R$ 60.000,00.

3) Domaine Leflaive Montrachet – Grand Cru
O renomado “Domaine Leflaive Montrachet Grand Cru” entra na terceira posição desse ranking de encher os olhos de qualquer entusiasta pela bebida em questão. Cada garrafa custa, em média, R$ 50.000,00, variando conforme o local de compra.

4) Egon Muller-Scharzhof Scharzhofberger Riesling Trockenbeerenauslese
A uva Riesling é conhecida no mundo todo como sendo uma das melhores para produzir vinho branco, portanto, as garrafas que a têm como parte dos ingredientes são, naturalmente, mais caras. A linha “Trockenbeerenauslese” é considerada uma das mais luxuosas da marca de Egon Muller, tendo colheitas grão a grão que produzem um sabor bem mais concentrado, com uma doçura equilibrada. Por conta disso, o valor é acima da média, sendo um pouco mais de R$ 32.000,00.

5 – Domaine Georges & Christophe Roumier Musigny – Grand Cru
Por fim, o quinto colocado, mas nem de longe o menos importante, custa aproximadamente R$ 30.000,00. Vale ressaltar que os enormes valores do Grand Cru são estabelecidos por conta do pequeno espaço em que os fabricantes começaram a produzir, mas mesmo assim tornaram-se uma das vinícolas mais premiadas e estimadas do mundo todo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Presidente da Caixa é diagnosticado com coronavírus
Brasil tem 8.668 mil novos casos de coronavírus e 243 mortes neste domingo
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play