Terça-feira, 18 de junho de 2024

Prefeito de Madri promete identificar autores de ofensas racistas contra o jogador brasileiro Vinícius Júnior

Após a torcida do Atlético de Madrid chamar Vinícius Júnior de “macaco” em mais um ato de racismo, o prefeito de Madri, José Luis Martínez-Almeida, prometeu nesta segunda-feira (19) trabalhar pela identificação dos envolvidos.

“Não tem cabimento em nenhum lugar, não apenas em um espetáculo esportivo, mas em nenhum estado da vida. Acredito que o que deve ser feito é identificar as pessoas que proferiram as ofensas, porque acredito que elas não são dignas e merecedoras de entrar no estádio do Atlético de Madrid”, diz.

A situação ocorreu no domingo (18) antes do início da partida contra o Real Madrid, vencida por 2 a 1 pelos merengues. Um registro em vídeo feito pela Rádio Cadena Cope mostra um grande grupo de torcedores cantando: “É um macaco, Vinicius é um macaco”. Um torcedor rival também foi visto com um boneco estereotipando o jogador.

Na última quinta (15), o atacante foi vítima de uma fala racista durante um programa esportivo na televisão da Espanha. Em uma participação no “El Chiringuito de Jugones”, o empresário Pedro Bravo disse que o camisa 20 do Madrid precisa “deixar de fazer macaquice” [“hacer el mono”, em espanhol], em referência às danças que Vini Jr. costuma fazer após um gol.

A fala de Bravo veio na sequência de uma declaração de Koke, capitão do Atlético de Madrid, a respeito das danças do atleta brasileiro nas comemorações de gol. O meia havia dito que poderia haver confusão no (estádio) Metropolitano – palco do jogo do fim de semana – caso ele dançasse. Foi então que Bravo comentou sobre o assunto e emitiu a declaração polêmica sobre as danças de Vini Júnior. Nas redes sociais, o jogador recebeu apoio por meio da hashtag #BailaViniJr. Horas depois do ocorrido, o atacante do Real Madrid se pronunciou e garantiu que “não vai parar de bailar”.

Desculpas

Na noite de domingo, o “El Chiringuito” pediu desculpas a Vinícius Júnior. Porém, a declaração diz que não houve racismo. O apresentador Josep Pedrerol leu um texto o qual afirma que a expressão “brincar de macaco” não tem cunho racista na Espanha.

“Quero deixar um recado para todos os brasileiros. A expressão ‘brincar de macaco’ na Espanha é fazer papel de bobo. Não é racista. Mas na tradução foi mal interpretada. Um forte abraço e continue a dança.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Após longo dia de cerimônias e homenagens, rainha Elizabeth II é sepultada em Windsor
Funeral da rainha Elizabeth II pode ter custado mais de 8 milhões de libras aos cofres públicos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play