Terça-feira, 16 de agosto de 2022

Presidente da Ucrânia diz que conversou sobre exportação de grãos com Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro e o líder da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, conversaram por telefone nesta segunda-feira (18), informou o governo ucraniano.

Zelensky disse ter informado Bolsonaro sobre “a situação no front” e sobre o bloqueio à saída de grãos da Ucrânia – o país é um dos principais fornecedores de grãos para o mundo, ao lado da Rússia. A Bolsonaro, o presidente ucraniano reforçou o pedido de sanções contra a Rússia.

“Informei (ao presidente Jair Bolsonaro) sobre a situação no front. Discuti a importância de retomar as exportações de grãos ucranianos para prevenir uma crise global dos alimentos provocada pela Rússia. Eu peço que todos os parceiros comerciais se unam às sanções contra o agressor”, disse Zelensky, em uma publicação em uma rede social após o telefonema.

A conversa acontece dias depois de Bolsonaro anunciar que o Brasil pode começar a receber óleo diesel da Rússia em 60 dias.

Em fevereiro, dias antes de a Rússia invadir a Ucrânia, o presidente brasileiro viajou a Moscou e se reuniu com o líder do país, Vladimir Putin, no Kremlin. A visita foi crítica por governos internacionais, inclusive o dos Estados Unidos.

Grãos

Zelensky vem buscando o apoio de líderes de todo o mundo para conseguir desbloquear as exportações de grãos em seu país. A maior parte da produção está parada em portos atualmente controlados pela Rússia ou nem conseguem chegar até lá por conta da situação de estradas em algumas regiões do país.

Na semana passada, representantes dos dois país e da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniram em Istambul, na Turquia, para tentar destravar as negociações sobre as exportações, e as duas partes anunciaram que pode haver acordo esta semana.

“Solução”

Bolsonaro anunciou o telefonema ainda no domingo (17). “Vou dar minha opinião a ele o que eu acho. A solução para o caso guerra. Eu sei como seria a solução do caso. Mas não vou adiantar. A solução do caso como acabou a guerra da Argentina com o Reino Unido em 1982? É por aí”, afirmou.

Ao longo dos últimos meses, o presidente brasileiro culpou a guerra pela situação econômica no Brasil em diversas oportunidades.

“Vou conversar bastante com ele. É uma liderança e vou dar minha opinião para ele. Essa guerra tem causado transtorno não só para o Brasil. Brasil menos. É muito mais para a Europa”, declarou Bolsonaro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Sintomas de covid que persistem após cura de infecção devem ser monitorados
Saiba se vale mesmo a pena antecipar a retirada anual do FGTS
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play