Domingo, 19 de maio de 2024

Presidente do Supremo confirma presença no desfile de 7 de Setembro a convite de Lula e faz contraponto a Bolsonaro

A ministra Rosa Weber, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), foi convidada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e confirmou presença no desfile militar alusivo à comemoração dos 201 anos de independência do Brasil na Esplanada dos Ministérios nesta quinta-feira (07).

Também foram convidados os presidentes do Congresso Nacional e do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e da Câmara dos Deputados, deputado Arthur Lira (PP-AL).

A ida da presidente do STF ao desfile de 7 de Setembro é simbólica e representa um contraponto com relação à celebração dos 200 anos da independência brasileira de Portugal em 2022.

Naquele ano, o então presidente Jair Bolsonaro (PL) convidou os presidentes dos outros dois Poderes para o evento, mas Pacheco e Luiz Fux, que presidia o STF, não aceitaram o convite. As autoridades temiam associar suas imagens à do então presidente. Lira, que já presidia a Câmara, também não foi ao desfile.

A celebração em 2022 expôs o isolamento político de Bolsonaro, que buscava a reeleição na disputa contra Lula e vinha atacando e ofendendo ministros dos tribunais superiores – entre eles Alexandre de Moraes, que preside o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e é responsável por investigações que miram o ex-presidente.

Os desfiles que aconteceram em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro e que contaram com a participação de Bolsonaro resultaram em ações contra o ex-presidente no TSE.

O ex-presidente responde na Corte Eleitoral por usar imagens da celebração oficial em sua propaganda eleitoral, o que, na avaliação dos ministros do tribunal, feria a isonomia entre os candidatos.

O desfile de 7 de Setembro deste ano deve custar pouco mais de R$ 3 milhões aos cofres do governo federal – cerca de R$ 300 mil a menos do que foi gasto por Bolsonaro no ano passado.

Cerca de 17 mil militares devem participar do desfile. Além disso, haverá reforço da Força Nacional de Segurança e da Polícia Militar. O número de policiais civis e militares que atuarão na data deve superar o da posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A expectativa é a de que, neste ano, o desfile seja menor, sem a participação da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. Não está previsto discurso de Lula (PT) durante o desfile.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Grêmio sinaliza interesse pelo atacante Bruno Henrique
Prefeitura de Porto Alegre interdita preventivamente a ciclovia da avenida Ipiranga, em Porto Alegre
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play