Domingo, 21 de abril de 2024

Socorristas turcos resgatam mais dois sobreviventes 13 dias após terremoto

Treze dias após o terremoto que matou mais de 43 mil pessoas na Turquia e na Síria, equipes de resgate turcas encontraram três pessoas vivas nos escombros neste sábado (18), embora uma delas, um menino de 12 anos, tenha morrido pouco depois. O terremoto de magnitude 7,8 foi o desastre natural mais mortal da região em séculos.

As equipes têm encontrado sobreviventes durante toda a semana presos sob os escombros. A agência de notícias estatal Anadolu compartilhou imagens de equipes de resgate colocando um homem e uma mulher em macas depois que eles e uma criança passaram 296 horas sob os escombros na mesma cidade. A agência informou posteriormente que o menino morreu, apesar dos esforços para salvá-lo.

O ministro da Saúde da Turquia, Fahrettin Koca, compartilhou um vídeo da mulher de 40 anos em um hospital de campanha recebendo tratamento. “Ela está consciente”, tuitou.

O vice-presidente turco, Fuat Oktay, disse na sexta-feira (17), que os esforços de resgate continuam em menos de 200 locais, enquanto as equipes de resgate correm contra o tempo para encontrar mais pessoas vivas.

O terremoto, que ocorreu em uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, atingiu áreas povoadas, onde muitos dormiam, em casas que não haviam sido construídas para resistir a vibrações tão fortes do solo.

Autoridades e médicos disseram que 39.672 pessoas morreram na Turquia e 3.688 na Síria desde o terremoto de 6 de fevereiro, elevando o total confirmado para 43.360 vítimas.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, foi criticado pela resposta lenta ao desastre e por permitir a construção de prédios de má qualidade.

As autoridades prometeram, após um terremoto de 1999 que matou mais de 17 mil pessoas no noroeste da Turquia, que os regulamentos de construção seriam mais rígidos.

Ex-jogador morto

O ex-jogador de futebol de Gana, Christian Atsu, estava entre os mortos depois que seu empresário confirmou neste sábado que seu corpo havia sido encontrado sob um prédio desabado em Antakya. O prédio de luxo de 12 andares foi construído em 2013, quando a Turquia tinha regulamentos de construção mais rígidos.

Mas, para surpresa e indignação de muitos, o prédio se desfez. A polícia turca prendeu o empreiteiro depois que ele tentou fugir do país, informou a Anadolu na semana passada.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Lula busca Centrão para avançar com agenda do Executivo
Míssil de longo alcance disparado pela Coreia do Norte cai no mar do Japão
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play