Sexta-feira, 19 de agosto de 2022

Tensão no Pacífico: China suspende cooperação militar, ambiental e estratégica com Estados Unidos

A China suspendeu o diálogo com os Estados Unidos (EUA) em uma série de áreas estratégicas, como relações militares e cooperação ambiental, na última represália à passagem da líder democrata Nancy Pelosi por Taiwan. A divulgação das medidas coincide com o terceiro dia de exercícios militares com munição real organizados por Pequim no entorno do país insular ao sul do continente.

O Ministério das Relações Exteriores chinês anunciou oito contramedidas em resposta aos americanos, incluindo o cancelamento de três mecanismos formais de diálogo militar, suspendendo o contato direto entre comandantes regionais dos EUA e da China e os chefes do departamento de defesa. De acordo com a emissora estatal China Central Television, também estão suspensas cooperações para a devolução de imigrantes ilegais e para o combate do narcotráfico e de crimes transnacionais.

Pequim também intensificou os exercícios militares ao redor de Taiwan. Mísseis foram disparados sobre o território, segundo autoridades de defesa à mídia estatal. Caças, bombardeiros, destróieres e fragatas foram usados para “operações conjuntas de bloqueio”, segundo a agência de notícias oficial Xinhua News.

Novas versões de mísseis também foram testadas contra alvos no Estreito de Taiwan, atingindo-os “com precisão”, segundo autoridades. A imprensa estatal chinesa descreve os exercícios em Taiwan como uma operação de “escala sem precedentes”.

Em Tóquio, última parada deem sua agenda pela Ásia, Nancy Pelosi afirmou que a China não vai conseguir isolar Taiwan. De acordo com a presidente da Câmara dos EUA, Pequim não pode ditar quem pode visitar a ilha. “Eles não estão fazendo a nossa programação de viagem. O governo chinês não está fazendo isso”, disse ela.

A China disse que mais de 100 aviões de guerra e 10 navios de guerra participaram dos exercícios militares em torno de Taiwan nos últimos dois dias, enquanto Pequim anunciava sanções principalmente simbólicas contra Pelosi durante a visita a Taiwan.

O diálogo entre a China e os EUA, particularmente sobre assuntos militares e trocas econômicas, têm sido interrompidos nos últimos tempos. As mudanças climáticas e o combate ao comércio de drogas ilegais, como o fentanil, no entanto, foram áreas em que os países encontraram uma causa comum, e a suspensão da cooperação de Pequim pode ter implicações significativas para os esforços globais.

Aliados na Ásia

A visita de Pelosi acendeu um alerta previamente existente entre os aliados asiáticos dos Estados Unidos, sobre um possível conflito no Estreito de Taiwan – passagem vital no comércio da região.

No Japão, a preocupação com uma potencial ação militar chinesa contra Taiwan – que fica a menos de 160 km do ponto mais ocidental do Japão – moldaram os gastos de defesa de Tóquio e os cálculos diplomáticos. Mas os níveis de alerta aumentaram nos últimos dias.

Na última semana, cinco mísseis balísticos da China caíram na zona econômica exclusiva do Japão (ZEE), a cerca de 80 km de Yonaguni, a ilha habitada mais ocidental do país, o que provocou uma reação do primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida.

“Informei à presidente Pelosi que o fato de os mísseis balísticos da China terem pousado perto das águas japonesas, incluindo a ZEE, ameaça nossa segurança nacional”, disse Kishida. E completou: “Também confirmamos uma cooperação estreita e contínua para manter a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan.”

Em Taipé, autoridades militares confirmaram que navios de guerra e caças chineses cruzaram a linha média entre os países nesta sexta-feira, marcando a terceira vez nesta semana que Pequim ignorou a fronteira marítima não oficial entre Taiwan e a China. O ministério disse que enviou aeronaves, navios e seu sistema de mísseis terrestres para monitorar a situação.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Veja como ficam as chapas formadas para disputar à Presidência da República
Brasileiros batem recorde de presença na Argentina
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play