A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre encerra a temporada de 2018 com um concerto gratuito e diversas atrações nesta terça-feira

O ano de 2018 ficará marcado na história da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre como o ano da conquista da Casa da Música da Ospa. Para coroar um período de significativas realizações, a sinfônica encerra a sua temporada artística com um grande concerto. Na terça-feira (18), às 21h, o maestro Evandro Matté, diretor artístico da orquestra, conduz os músicos e convidados de peso na interpretação de trechos de óperas, música latino-americana, além de repertório natalino. O evento conta com a participação especial do acordeonista gaúcho Renato Borghetti, da soprano Elisa Machado, do grupo Expresso 25, do Coro Sinfônico da Ospa e do pianista Pablo Trindade. A entrada é franca, mediante retirada prévia de senhas.

As cortesias serão distribuídas a partir de segunda-feira (17), da seguinte forma: segunda-feira, dia 17, das 12h30min às 18h, na bilheteria da Casa da Música da Ospa; terça-feira, dia 18, das 12h30min até às 21h, mediante a disponibilidade, na bilheteria da Casa da Música da Ospa. Cada pessoa poderá retirar duas senhas.

O concerto, que integra a Série Pablo Komlós da Ospa, também celebra a abertura oficial do Porto Verão Alegre, projeto de artes cênicas já consagrado na capital. O governo do Estado e a Sedactel (Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer) são parceiros na promoção da temporada artística 2018.

Sobre o programa

A noite começa com a trilha do famoso musical “West Side Story”, conhecido como “Amor, Sublime Amor”. A peça é do compositor norte-americano Leonard Bernstein (1918-1990), cujo centenário de nascimento é lembrado em 2018. Depois, a Ospa presta homenagem à tradição operística com a interpretação da abertura da ópera “Nabucco”, de Giuseppe Verdi (1813-1901). Na sequência, a sinfônica apresenta “Vozes da Primavera”, valsa de Strauss II (1825-1899).

Passando da tradição europeia para a música latino-americana, a orquestra dá continuidade ao concerto com a clássica “Merceditas”, do compositor argentino Ramon Sixto Rios (1913-1995). Renato Borghetti, acordeonista porto-alegrense conhecido como Borghettinho, sobe ao palco para realizar os solos desta e da obra seguinte. Ao lado do instrumentista, a Ospa também interpreta “Barra do Ribeiro”, do gaúcho Guinha Ramires (1956-).

A expressividade da música popular brasileira ganha vida na sequência com “O Bêbado e a equilibrista”, de João Bosco (1946-) e Vitor Martins (1944-), e “Redescobrir”, de Gonzaguinha (1945-1991). Para interpretar estas duas músicas, o grupo Expresso 25, coral porto-alegrense que conta com 30 vozes, une-se à Ospa e ao pianista Pablo Trindade no palco da Casa da Música. Além de instrumentista, Trindade é também o regente do grupo que foi formado em 1964.

Na segunda parte da exibição, o clima natalino invade a Sala de Concertos. “Christmas Festival”, de Leroy Anderson (1908-1975), e “Ó Noite Santa” de Adolph Adam (1803-1856) são revisitadas. As emblemáticas “Laudate Dominum”, Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) e “Hallelujah”, de Georg Friedrich Händel (1685-1759) completam o repertório. A participação da soprano Elisa Machado e dos cantores do Coro Sinfônico da Ospa abrilhantam a apresentação nesta seleção. Formado por aproximadamente 80 cantores voluntários, o Coro tem como regente titular, desde 1992, o maestro Manfredo Schmiedt.

Mais informações pelo site www.ospa.org.br ou pelo telefone (51) 3222-7387.

A Ospa é uma das fundações vinculadas à Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul. Os concertos da temporada 2018 são patrocinados, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, por Corsan, Banrisul e Grupo Zaffari. Apoio: Ipiranga, Dufrio, Ventos do Sul, Audio Porto, Grupo Renner e Thyssenkrup. A realização é de Ospa, Fundação Cultural Pablo Komlós e Sedactel.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *