FORAM REGISTRADAS MAIS DE 3 MILHÕES DE INFRAÇÕES DE TRÂNSITO NO RS NO ANO PASSADO


O excesso de velocidade foi a infração mais cometida em 2018 no RS. (Foto: PRF/Divulgação)

O Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul) divulgou o balanço das infrações cometidas por motoristas no Estado no ano passado. No total, foram registradas 3.143.928 infrações em 2018, 4,5% a menos do que em 2017 (3.292.402 infrações).

Do total de infrações registradas, 45% foram por excesso de velocidade (1.408.580). Em segundo lugar, ficou a irregularidade prevista no artigo 162 do Código de Trânsito Brasileiro: dirigir sem CNH ou com alguma irregularidade na habilitação. Foram aplicadas 277.685 multas por esse motivo. Os flagrantes por embriaguez representaram 0,7% do total de infrações no RS. Foram 21.731 registros em 2018, número também menor do que em 2017, quando foram flagrados 21.927 condutores sob o efeito de álcool.

Infrações de natureza média representaram 46% do total, seguidas das infrações graves (23%) e gravíssimas (23%). Foram registradas 737.765 infrações gravíssimas, como exceder a velocidade em mais de 50% do limite para a via, dirigir sob o efeito de álcool e ultrapassar em local proibido, condutas de alto risco. Para o diretor do Detran-RS, Paulo Roberto Kopschina, a importância da fiscalização se reflete nos números de acidentes. “Reduzimos o número de mortes no trânsito em 7,6% no ano passado e o controle das infrações de trânsito representaram um importante papel nesse resultado”, disse.

Carteira de motorista

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste mês que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, vai anunciar medidas de “desburocratização e economia” para o trânsito. Bolsonaro mencionou a ampliação da validade da carteira nacional de habilitação que atualmente é de cinco anos e o fim da obrigatoriedade de aulas com simuladores de direção nas autoescolas, uma resolução de 2015.

Sem dar detalhes das mudanças, o presidente também afirmou que “medidas que afetam caminhoneiros serão extintas ou revistas” e comentou sobre simplificação do emplacamento. “O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) emite cerca de 100 resoluções/ano atrapalhando a vida de quem transporta no Brasil”, disse Bolsonaro.

Com a reforma ministerial feita em janeiro de 2019, o Contran passou a ser subordinado ao Ministério da Infraestrutura. Até então, o conselho estava ligado ao extinto Ministério das Cidades.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *