Moradores de São Leopoldo que trabalham em frigoríficos da Serra gaúcha são diagnosticados com coronavírus.

O trabalho de ampliação da testagem da população de São Leopoldo detectou um foco de contaminação do coronavírus no município. Foram confirmados 14 casos na manhã desta sexta-feira (1º) de moradores da cidade que trabalham nos Nicolini e JBS, em Garibaldi, na Serra gaúcha. Mais de 100 leopoldenses trabalham nas duas empresas. Duas equipes da Secretaria da Saúde estão trabalhando nesta sexta-feira contatando os trabalhadores, agendando e realizando os exames. Com a apuração, até o momento são 72 casos confirmados. O dado aponta que dos 72 casos positivos, 26 deles, 36% , tem como fonte de contaminação o local de trabalho fora de São Leopoldo.

O prefeito Ary Vanazzi determinou duas medidas imediatas: um alerta urgente para a Prefeitura de Garibaldi com relação ao surto no empreendimento, solicitando providências; e também a formalização ao Ministério Público do Trabalho para averiguação das condições sanitárias e epidemiológica dos empregados.

“Este caso é gravíssimo, precisamos denunciar isso. Aqui estamos testando muito a nossa população, nossa média é de 220 testes por 100 mil habitantes, enquanto o País realiza 50 testes por 100 mil habitantes, isso representa 350% a mais que a média nacional, vamos buscar as medidas urgentes para proteger a nossa população, estamos tratando com toda a seriedade esse tema”, afirmou o prefeito Ary Vanazzi.

O aumento também se deve ao número de testagem que a Secretaria da Saúde vem aplicando na população como medida definida da prefeitura de São Leopoldo no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, as ações dão conta de um processo de rastreabilidade dos casos e busca-ativa entre os casos positivos.

Para o secretário de Saúde, Ricardo Charão, a população precisa entender a gravidade da situação “Tratamos a situação do coronavírus com muita seriedade e com ações efetivas. Quanto mais testes são realizados, mais informações teremos em mãos para agir”, destacou Charão.

Unidades de frigorífico em Erechim e Sarandi firmam acordo com MPT

A Cooperativa Central Aurora Alimentos firmou, na tarde desta quinta-feira (30), TAC (Termo de Ajuste de Conduta) perante o MPT (Ministério Público do Trabalho). O objetivo é o de garantir a saúde e a segurança dos trabalhadores do frigorífico nas unidades de Erechim e Sarandi, devido à pandemia. A Cooperativa comprometeu-se a adotar medidas de controle de cunho administrativo, organizacional e estrutural para evitar a exposição indevida ao risco de transmissão e contágio dos trabalhadores próprios ou terceirizados, por Covid-19, no ambiente de trabalho. Assim, também evitará propagação dos casos para população em geral.

Dentre as medidas ajustadas, destacam-se a reorganização do fluxo dos trabalhadores na unidade com vistas a eliminar aglomerações, estabelecendo sistemas de rodízios ou revezamento, bem como escalas de trabalho e a implantação de distanciamento mínimo entre empregados nas entradas e saídas das unidades, refeitórios, espaços reservados às pausas e vestiários; garantir o distanciamento entre trabalhadores de, no mínimo, 1 metro no setor produtivo e, concomitantemente, implantar anteparos físicos entre os postos de trabalho ou fornecer protetores faciais de acetato (face shield); fornecimento de máscaras de proteção de acordo com os critérios da ABNT, com troca periódica; garantia do limite de 50% da capacidade de trabalhadores sentados nos veículos fretados pela empresa; disponibilização de testes para diagnósticos da Covid-19 nas unidades localizadas em municípios onde os exames não estão sendo feitos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), bem como vacinação, para todos empregados, de forma gratuita, para proteção contra os vírus Influenza A (H1N1), A (H3N2) e B com vistas a melhor identificação dos casos sintomáticos de Covid-19.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *