Obras de restauração da Casa Azul seguem indefinidas

Há oito meses o cruzamento entre as ruas Marechal Floriano Peixoto e Riachuelo está interditado devido o risco de desabamento da Casa Azul. O bloqueio na via tem afetado cerca de 50 comerciantes que realizaram um protesto na segunda-feira (4) cobrando a demora na liberação da via. O casarão histórico, construído entre os seculos 19 e 20, foi alvo de um processo que terminou em acordo entre a prefeitura e os proprietários no ano passado.

O acordo estabelecido entre os proprietários, a Administração Municipal e o Ministério Publico definiu que o valor de restauração da casa seria pago pela família, que teve seus bens bloqueados. A obra foi orçada em R$ 1,36 milhão, e o prazo de execução será de seis meses, a partir da liberação da primeira parcela pelo Poder Judiciário. A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) irá fiscalizar o andamento da obra já que existe o interesse histórico-cultural.

O local possui diversas dividas de IPTU e coleta de lixo, um valor de aproximadamente R$ 275 mil em cobrança judicial. De acordo com a Procuradoria-Geral de Porto Alegre, as demais parcelas só serão liberadas se for atestado o avanço das obras. A execução ainda não foi iniciada, pois os recursos da família foram bloqueados e destinados primeiramente a outra ação de imóvel, também no Centro da capital.

A prefeitura já pediu à Justiça a liberação dos recursos devido a precariedade da Casa Azul e o maior risco de desabamento.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *