Quarta-feira, 29 de junho de 2022

loader

Agressor de procuradora-geral ficou “incomodado” em depoimento após prisão e não alegou arrependimento

O agressor da procuradora-geral de Registro, no interior de São Paulo, Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, se mostrou “muito incomodado” em depoimento à delegada da Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo, Ivalda Aleixo, após a prisão, na manhã desta quinta-feira (23), em São Paulo.

De acordo com Ivalda, ao ser questionado se estava arrependido das agressões contra a chefe Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, ele disse que não sabia responder. A delegada acredita que o procurador não estava confortável por estar na frente de mulheres.

“[Tinha] uma escrivã fazendo o BO [boletim de ocorrência], uma investigadora conduzindo ele, uma mulher falando com ele, uma delegada. Acho que ele ficou bastante incomodado”, apontou Ivalda.

A funcionária que o denunciou Demétrius à procuradora-geral, inclusive, disse que o procurador “desprezava mulheres”.

Internação e prisão

Macedo foi preso na manhã desta quinta em um hospital psiquiátrico, em Itapecerica da Serra, em São Paulo. De acordo com a delegada, ele foi internado por familiares na última quarta (22), provavelmente pela reação do procurador. “Ele ficou muito irascível [irritado com facilidade ou frequência], porque não existe nenhum motivo que justifique o que aconteceu.”

Segundo a delegada, o procurador passaria por uma consulta no hospital psiquiátrico, mas o médico entendeu e o liberou e, consequentemente, Demétrius foi levado para o Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), Instituto Médico Legal (IML) e seguirá preso na capital paulista, a não ser que a delegacia de Registro, no interior de São Paulo, peça a sua transferência.

Caso

Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, é a procuradora-chefe do agressor, de 34, também procurador. A situação aconteceu na tarde da última segunda (20), por volta das 16h50, na prefeitura de Registro (SP).

A ação foi filmada por outra funcionária e mostra que o procurador desferindo socos e chutando a colega.

O procurador foi preso na manhã desta quinta, em São Paulo. Ele passou pelo Palácio da Polícia na capital paulista, onde foi cumprido o mandado de prisão, e foi conduzido ao Instituto Médico Legal (IML) para o exame de corpo de delito. Demétrius permanecerá preso em São Paulo.

A procuradora-geral afirma se sentir mais segura agora que o agressor foi preso.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Delegado do caso Milton Ribeiro escreveu a colegas reclamando que o ex-ministro “foi tratado com honrarias não existentes na lei”
Grêmio empata em 1 a 1 com o CSA e pode deixar o G4 da série B
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play