Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Após interceptação da FAB, avião vindo da Bolívia faz pouso forçado em Mato Grosso

Um avião bimotor fez um pouso forçado em Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá (MT), após ser interceptado pela Força Aérea Brasileira (FAB), nessa quarta-feira (10). Os tripulantes colocaram fogo na aeronave e fugiram do local.

A aeronave, suspeita de transportar drogas, saiu da Bolívia, e foi identificada perto de Rondônia. Dois aviões de defesa aérea A-29 Super Tucano foram acionados para fazer a interceptação por volta das 13h30.

O piloto foi orientado a mudar de rota e fazer pouso obrigatório em Cacoal (RO). Após descumprir a ordem, foi dado um tiro de aviso.

Em seguida, o avião fez um pouso forçado em um terreno de difícil acesso nas proximidades do município de Rondolândia.

Para a FAB, os tripulantes que fugiram possivelmente queimaram o avião porque ele tinha drogas e não queriam deixar rastros. A Bolívia é um dos principais produtores de cocaína no mundo.

A aeronave, modelo Seneca, matrícula PT-RQY, não tinha permissão para voar, pois estava com o certificado de aeronavegabilidade vencido, conforme a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O Comandante de Operações Aeroespaciais, tenente-brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara, comentou sobre o sucesso da operação.

“É com grande satisfação que o COMAE, junto à Polícia Federal, anuncia o êxito em mais uma missão de interceptação, em que interrompemos o fluxo de uma aeronave clandestina. Isso mostra a prontidão na rastreabilidade de tudo que está entrando no Brasil”, concluiu o oficial-general.

As ações fazem parte da Operação Ostium, interligada ao Programa de Proteção Integrada de Fronteiras, com o objetivo de coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública.

Outro caso

Na última terça-feira (9), outra ação similar ocorreu em Mato Grosso, após a identificação de uma aeronave que tentava entrar no território brasileiro pela fronteira do Estado com o Paraguai.

O avião interceptado em ação conjunta com a Polícia Federal (PF) carregava 565kg de cocaína. O piloto foi preso em flagrante após pouso forçado em Santa Cruz do Rio Pardo (SP) e a carga, apreendida.

De acordo com as investigações, é possível que o veículo clandestino seja clonado, já que o verdadeiro estaria inutilizado após operações em Terras Yanomami em 2023.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Grêmio tem o pior início de Libertadores de sua história
Empregado xingado de “burro” em áudio deve ser indenizado
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play