Terça-feira, 25 de junho de 2024

Após visita na prisão em Brasília, senador diz que o ex-ministro da Justiça Anderson Torres está “detonado”

O senador Jorge Seif (PL-SC) comentou, em uma live nas suas redes sociais, o estado emocional do ex-ministro da Justiça Anderson Torres após visitá-lo no 4º Batalhão de Polícia Militar, com outros quatro senadores, no sábado (6). Outras cinco visitas estavam previstas para esse domingo (7).

Seif afirmou que o ex-ministro está magro, barbudo e abatido. “O cara está na lama, detonado”, disse o senador.

No sábado, Torres recebeu a visita do líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), Eduardo Gomes (PL-TO), Magno Malta (PL-ES) e Márcio Bittar (União-AC), além de Seif.

A visita dos senadores ocorreu depois de aprovação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. A autorização refere-se apenas a 38 senadores e não pode ser estendida a terceiros.

As visitas devem ocorrer em grupos de até cinco senadores, aos sábados e domingos, desde que previamente agendadas com o comando do batalhão. Moraes autorizou a visita dos seguintes senadores:

Rogério Marinho, Styvenson Valentim, Oriovisto Guimarães, Tereza Cristina, Luiz Carlos Heinze, Zequinha Marinho, Izalci Lucas, Rodrigo Cunha, Jaime Bagattoli, Carlos Viana, Cleitinho, Laércio Oliveira, Ciro Nogueira, Esperidião Amin, Eduardo Gomes, Carlos Portinho, Plínio Valério, Chico Rodrigues, Jayme Campos, Magno Malta, Damares Alves, Hamilton Mourão, Efraim Filho, Eduardo Girão, Alan Rick, Professora Dorinha Seabra, Wellington Fagundes, Astronauta Marcos Pontes, Jorge Seif, Mecias De Jesus, Hiran Gonçalve, Vanderlan Cardoso, Lucas Barreto, Wilder Morais, Márcio Bittar, Sérgio Moro, Dr. Samuel Araújo e Irajá.

Moraes vetou a visita dos senadores Marcos do Val e Flávio Bolsonaro, “tendo em vista a conexão dos fatos apurados no presente Inquérito com investigações das quais ambos fazem parte”.

Salário

Preso por suposta omissão durante atos golpistas do 8 de janeiro, enquanto era secretário de Segurança do Distrito Federal, Anderson Torres deve sofrer um baque na sua remuneração mensal.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, a Polícia Federal (PF) pretende cortar o salário que Anderson Torres ainda recebe de delegado da instituição.

Sua remuneração de delegado é de cerca de R$ 30 mil mensais. Mas, segundo o colunista, a PF já abriu um processo administrativo que deverá resultar no corte do salário.

Informações dão conta, ainda, que num segundo momento, Anderson Torres deverá ser expulso da corporação.

Nesta segunda-feira (8), Torres prestará depoimento à PF. O ex-ministro será ouvido sobre as operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na eleição passada.

A PF apura se houve uma tentativa do Ministério da Justiça, quando Torres era ministro, de usar a PRF para dificultar o deslocamento de eleitores em redutos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

“Esse é o jogo democrático”, diz Lula sobre derrota no Congresso
“O pior momento foi o 7 de Setembro de 2021. Pensei que Bolsonaro fosse fazer uma loucura, que fosse fechar o Supremo”, diz o presidente do Partido Liberal
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play