Terça-feira, 25 de junho de 2024

Carla Zambelli e Lindbergh Farias trocam ofensas e precisam ser apartados por colegas

Os deputados federais Lindbergh Farias (PT-RJ) e Carla Zambelli (PL-SP) trocaram acusações e precisaram ser separados por colegas enquanto se ofendiam no plenário da Câmara nesta segunda-feira (9). A briga começou após parlamentares apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) chamarem a organização extremista palestina, Hamas, responsável por ataques a civis israelenses neste fim de semana, de terrorista.

Lindbergh questionou se quem participou dos ataques antidemocráticos do 8 de janeiro era terrorista e se quem tentou bombardear o aeroporto de Brasília também não seria. Após ser interrompido por Zambelli, que o perguntou sobre o Hamas, o petista chamou a própria congressista de “terrorista”.

“Essa deputada que está me interrompendo aqui, andando com revólver em punho, perseguir uma pessoa na véspera da eleição, isso é terrorismo. A senhora é terrorista”, diz Lindbergh.

Zambelli retrucou dizendo que Lindbergh “não honrava o que tinha no meio das pernas”, porque Lindbergh se retirava do plenário após fazer as falas. “Vem aqui, pô, fica aqui na frente”, provoca então o petista. Zambelli devolve a afronta também o associando ao terrorismo.

“Eu te perguntei se o Hamas era terrorista e vossa excelência não foi homem o suficiente para dizer que Hamas é terrorista. Sabe por quê? Porque vossa excelência e o terrorismo andam assim, ó”, afirma.

A deputada então lembrou do apelido de Lindbergh, identificado pelo codinome “lindinho” por delatores da Odebrecht na planilha de repasses de caixa 2 à candidatura do deputado pela empresa.

“A lista da Odebrecht, lindinho, vocês, a lista da Odebrecht e o terrorismo andam de mãos dadas”, afirma. “Sinceramente, eu não estou preocupada se algum sem-vergonha, vagabundo aponta o dedo para mim para falar da minha forma de ser, principalmente os machões que têm lista na Odebrecht, chamados de lindinho.”

Ainda no plenário, ela concluiu a fala dizendo para Lindbergh lavar a boca com sabão. “Lave a sua boca com sabão, lindinho, antes de falar da minha família e da forma como eu protejo minha família. Estou sendo atacada por pessoas como você que contam mentira sem falar porque a gente pensa as coisas”, diz.

Lindbergh pediu um direito de resposta. A presidente tentou acalmar os ânimos, mas Carla Zambelli e Lindbergh logo começaram a falar e trocar insultos cara a cara. Parlamentares então apartaram a briga. “Seu machista nojento”, grita Carla Zambelli, enquanto deputados isolaram os dois.

Pedido de cassação

O PL anunciou que irá pedir a cassação do mandato de Lindbergh por ter chamado Zambelli de “terrorista”. A denúncia será apresentada ao Conselho de Ética, onde cabem processos do tipo. A representação argumenta que Lindbergh “violou o decoro parlamentar e abusou injustificadamente de sua prerrogativa, chegando ao ponto de rir após proferir tais palavras ofensivas”.

“A parlamentar [Zambelli] possui familiares na situação crítica que ocorre na Faixa de Gaza. Esse episódio demonstra um completo desrespeito à Constituição Federal e ao Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados”, diz uma nota divulgada pela assessoria da deputada.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Militante do PCdoB que zombou de vítima do Hamas será demitido de cargo na Câmara
Partido Liberal pedirá cassação de Lindbergh Farias após deputado chamar Carla Zambelli de “terrorista”
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play