Quarta-feira, 19 de junho de 2024

Centenas de foguetes são disparados de Gaza e Líbano contra Israel

O Hamas disparou, na manhã desta terça-feira (10), uma leva de foguetes de Gaza em direção a Israel. O grupo, classificado pelos Estados Unidos e pela União Europeia como terrorista, disse que disparou centenas de foguetes contra a cidade israelense de Ashkelon em “resposta ao deslocamento de civis em Gaza”, afirmou em comunicado no Telegram.

O ataque aconteceu após um porta-voz do Hamas emitir um alerta aos moradores da cidade ao sul de Israel para que deixassem o município antes das 17h, no horário local (11h, horário de Brasília).

Imagens de Ashkelon mostraram foguetes vindos de Gaza aparentemente interceptados pelo sistema israelense antimísseis “Domo de Ferro”. No quarto dia de conflito, os combates entre as forças israelenses e o grupo islâmico Hamas continuam em cerca de oito locais perto de Gaza.

Foguetes também foram disparados do Líbano; Israel respondeu com artilharia
Além dos ataques vindos de Gaza, de acordo com o Al Manar, canal libanês que pertence ao Hezbollah, foguetes também foram disparados do sul do Líbano em direção a Israel. O Hezbollah não assumiu a autoria dos disparos. Uma fonte de segurança disse à agência Reuters que o bombardeio foi realizado por facções palestinas.

As FDI (Forças de Defesa de Israel) informaram que responderam com fogo de artilharia depois que “lançamentos” foram “identificados do território libanês em direção ao território israelense”.

Segundo os militares israelenses, cerca de 15 foguetes foram lançados do Líbano, dos quais quatro foram interceptados e 10 caíram em campo aberto.

A situação de tensão cresceu no Líbano depois de seis combatentes serem mortos ao longo da fronteira na segunda-feira (09): três membros do Hezbollah, um oficial israelense e dois militantes palestinos que desencadearam a violência infiltrando-se em Israel a partir do Líbano.

A UNIFIL (Força Interina das Nações Unidas no Líbano) disse ter detectado disparos de foguetes do sul de Tiro, no Líbano. “Continuamos em contato com as autoridades de ambos os lados da Linha Azul para acalmar esta situação muito perigosa”, disse a UNIFIL, acrescentando: “Pedimos a todos que exerçam contenção neste momento crítico.”

A Linha Azul separa o Líbano e Israel. Anteriormente, o Hezbollah manifestou apoio aos palestinos, dizendo que as suas “armas e foguetes” estão com eles. No domingo (8), o Hezbollah disparou contra três posições israelenses nas disputadas “Fazendas Shebaa” ao longo da fronteira e contra mais dois postos militares em Israel na segunda-feira.

Mas a facção xiita, fortemente armada, não abriu até agora uma segunda frente relevante contra Israel.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Rio Grande do Sul tem 11 trechos de rodovias com bloqueios totais ou parciais
Primeiro avião da Força Aérea Brasileira decola do aeroporto de Tel Aviv com brasileiros resgatados de Israel
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play