Sexta-feira, 01 de julho de 2022

loader

Com dívida de 1,35 bilhão de euros, o Barcelona chegou perto da falência

Em profunda crise financeira, o Barcelona apresentou nesta quarta-feira (6) os resultados de uma auditoria promovida pela consultoria Deloitte nas contas do clube de 2018 aos primeiros meses de 2021. No evento, o CEO dos blaugranas, Ferran Reveter, revelou que a situação era grave: o clube chegou a ter uma dívida geral de 1,35 bilhões de euros e esteve perto de quebrar.

“Se fôssemos uma sociedade anônima desportiva, O Barça estaria em processo de dissolução. Em março de 2021, a situação era de quebra contábil. Como somos um clube e não uma sociedade, refinanciamos a dívida.”

Os impactos recentes identificados têm relação com a pandemia da Covid-19, mas são uma fatia pequena do estrago. Sem público desde meados de 2020, com altos custos operacionais e gastos crescentes no futebol em anos anteriores, as dívidas principais do clube pularam da casa dos 150 aos quase 700 milhões de euros em quatro anos.

Para equilibrar as contas deixadas pela gestão de Josep Maria Bartomeu, o Barcelona de Joan Laporta afirma que precisou de um empréstimo de quase 600 milhões de euros. Uma das mais altas despesas era a folha salarial do futebol, que também criou problemas para o clube com o fair play financeiro, apontado como um dos principais motivos para a saída de Lionel Messi. Segundo Reveter, o clube, que tem negociado reduções salariais (Piqué, Jordi Alba e Sergi Roberto foram alguns dos envolvidos) já conseguiu aliviar a despesa em 155 milhões de euros.

“O Barça gastava mais de 300 milhões de euros por temporada em quatro jogadores. Se não tomássemos essas decisões (de reduzir), os salários seriam 108% das receitas. Em quatro anos, o Barcelona fica com uma massa salarial a pagar de 1,4 bilhão para quatro jogadores.”

A atual diretoria acusa a gestão Bartomeu de irregularidades financeiras e promete entrar com uma ação contra o ex-mandatário do clube. Segundo Reveter, há uma investigação em andamento sobre superfaturamentos e pagamentos excessivos a agentes de atletas durante a gestão anterior.

Na apresentação, o CEO garantiu que hoje o clube tem como pagar pelas renovações de jovens estrelas como Pedri e Ansu Fati, além de ter espaço na folha para contratar novos jogadores. Com as últimas adequações ao fair play financeiro, o Barça tem hoje uma folga financeira de 20 milhões de euros pra utilizar com o futebol.

Enquanto tenta se reerguer financeiramente, o Barcelona segue em crise no campo. Com 12 pontos, o clube é apenas o 9º colocado no Campeonato Espanhol. São três vitórias, três empates e uma derrota em sete jogos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Tite aproveita fragilidade da Venezuela para fazer testes na Seleção Brasileira em confronto nesta quinta pelas Eliminatórias
Médico avalia que juiz de futebol agredido por jogador durante partida no Interior gaúcho poderia ficar tetraplégico
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play