Quinta-feira, 02 de dezembro de 2021

loader

Com vacinação e flexibilizações, Brasil tem aumento de 27% nos casamentos

O número de casamentos voltou a crescer após um período de queda expressiva em consequência da pandemia da Covid-19.

O levantamento, feito pela Apen (Associação dos Registradores de Pessoas Naturais) do Brasil, revela um crescimento de 27,61% entre janeiro e outubro de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado, quando a pandemia estava no auge e a população ainda não havia sido vacinada.

Foram consultados 7.654 cartórios, distribuídos em todos os municípios e distritos do País. Nos dez primeiros meses do ano, foram realizadas 683.855 celebrações civis contra 535.823 matrimônios em todo o ano de 2020. Vale ressaltar que devido a restrição imposta pela pandemia, muitas celebrações foram adiadas e esse acumulado em 2021, também se deve a uma demanda reprimida.

A tendência de alta começou a ser notada em março, quando os números de 2021 ultrapassaram os de 2020. O aumento da vacinação e a flexibilização das medidas restritivas explicam o aumento.

“Mas mesmo com a vacinação avançando e com a flexibilização, os cartórios mantiveram todos os cuidados, demostrando que o sonho de uma vida a dois pode ser realizado, mesmo diante deste cenário de crise sanitária que vivemos”, explica Gustavo Renato Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil.

A retomada acontece às vésperas de dezembro, tradicionalmente o mês em que é realizado o maior número de casamentos no Brasil, sendo o preferido para as celebrações. A escolha pelo mês está relacionada ao período de férias de adultos e crianças e ao recebimento do décimo terceiro.

Os noivos que quiserem casar no civil precisam procurar o cartório mais próximo, acompanhados de duas testemunhas (maiores de 18 anos e com documentos de identificação), com pelo menos 30 dias de antecedência para dar entrada na habilitação do casamento.

É necessário que o casal esteja com as certidões nascimento (se solteiros), de casamento com averbação do divórcio (para os divorciados), de casamento averbada ou de óbito cônjuge (para os viúvos), além de documento de identidade e comprovante de residência. O valor do casamento é tabelado em cada Estado da Federação, podendo variar de acordo com a escolha dos noivos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Presidente do Senado diz que o governo não faz favor nenhum em aumentar auxílio de R$ 180 para R$ 400
Após aumento no número de passageiros, viagens de ônibus são ampliadas em Porto Alegre
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play